Informações e dicas do Lu Cidreira

Estatística

28 de abril de 2015

Mais memórias da Revista O Cruzeiro



Já publicamos aqui algumas das capas e manchetes da revista O Cruzeiro, gostamos muito de rever assuntos de natureza cultural e curiosos, por tanto tem um editorial escrito na página Memoria viva que consta essas curiosidades e nós Blog do Lu Cidreira dispomos para nossos leitores.
Peguem uma carona nos links que seguem abaixo e divirtam-se com uma boa leitura de época.
Apesar de só vir aparecer para o mundo no inicio da década de 50, ainda tive o privilégio de ler muitos exemplares desta conceituada revista.
Magnífica editoração e conteúdo, nos deixava maravilhados a cada edição lançada em nosso país.
SAUDADE, é o que fica.



Editorial
O site Memória Viva, especializado em biografias de pessoas famosas da recente História do Brasil, inaugura uma nova fase a partir do dia 4 de outubro de 2003, com o lançamento da edição on line da revistaO Cruzeiro.
Não são reproduções de páginas de O Cruzeiro. É uma versão on line mesmo. Com atualização semanal, o internauta poderá ver a capa da revista, entrar no sumário, escolher a matéria, ler na íntegra, ver as fotos tratadas... do mesmo jeito que se vê no site de uma revista atual.
A primeira edição, de 1928, e a última, de 1975, estão disponíveis. As 10 primeiras capas e curiosidades sobre a revista são outros atrativos que também podem ser encontrados.
Em relação a O Cruzeiro, o Memória Viva possui hoje um acervo digitalizado de aproximadamente 100 edições, além de todos os exemplares dos três primeiros anos (1928 – 1930) e outras 70 revistas a partir de 1940.
Esperamos que você aprecie este trabalho de preservação histórica que coloca à disposição de todos, pela Internet, a revista mais duradoura e poderosa da história da imprensa no Brasil.

Curiosidades da Revista O Cruzeiro

A primeira edição de Cruzeiro é de 10 de novembro de 1928. A primeira personalidade a aparecer em uma capa foi o Rei Alberto da Bélgica, no número 2, e a primeira capa utilizando uma foto mostrava Santos Dumont (número 5).
 Ininterruptamente, a revista foi editada de 1943 a 1975.
 Grandes nomes fizeram história em O Cruzeiro. Dentre eles, Millôr Fernandes, Péricles de Andrade Maranhão (criador de O amigo da onça) e Rachel de Queiroz.
 Geralmente as capas traziam modelos, atrizes e mulheres bonitas. Eram raras as capas políticas. Getúlio Vargas, JK, João Goulart e Jânio Quadros estão entre essas raridades.
 A revista tem recordes ainda não quebrados como edições com mais de 750 mil exemplares (até hoje, proporcionalmente, a maior) e sua longevidade, 47 anos (só agora, em 2003, Veja completou 35 anos).
 A última edição de O Cruzeiro é de julho de 1975, com Pelé na capa, então jogador do Cosmos, vestido de Tio Sam.
Leia Mais »

25 de abril de 2015

Vulcão - e seus estudos no mundo



O que são vulcões?

Vulcão é toda greta ou abertura da crosta terrestre pela qual se projetam gases, material elástico e magma procedentes do interior da Terra. Ocorre tanto nas regiões continentais como nas submarinas, mas sabe-se que os magmas se originam a altas temperaturas e pressões, e que essas condições se encontram principalmente nas regiões de contato das placas que formam a litosfera.
A capacidade de ascensão de um magma na crosta é determinada pela sua densidade e a pressão que atua na fonte. Alguns magmas não ascendem diretamente da sua fonte ao ponto de erupção, mas são coletados numa câmara magmática de profundidade intermediária.

Erupções vulcânicas

As erupções vulcânicas são uma das manifestações mais grandiosas e espetaculares da crosta terrestre, são a emissão de materiais do interior da Terra, no estado de ignição. Até há pouco tempo, ao ver que a maioria destas emissões tinham lugar nas proximidades do mar, supôs-se que dependiam da infiltração de águas marinhas.
Hoje em dia acredita-se que estas erupções são devidas a deslocamentos da crosta terrestre que alteram o estado de equilíbrio do chamado magma, isto é, dos materiais da parte inferior da crosta terrestre, submetidos a temperatura muito elevada e a consideráveis pressões. Com o deslocamento de grandes massas da crosta, alteram-se as pressões a que está submetido o magma, o que facilita a fusão dos magmas profundos e a evaporação dos gases que eles contêm.
Esta emissão de materiais para o exterior, em estado ígneo, constitui uma erupção vulcânica. Os produtos voláteis sobem a grande altura na atmosfera. Os líquidos e sólidos depositam-se em volta do orifício de saída, formando o chamado cone vulcânico, em cujo cimo existe uma cavidade com o nome cratera, prolongada na sua parte inferior por uma chaminé, pela qual sobem gases, vapores e matérias em fusão.
O magma líquido de rochas fundidas constitui a lava que desliza pelos flancos do cone vulcânico em forma de corrente.
Uma erupção começa quando a pressão na câmara magmática fica grande demais, expulsando a rocha incandescente armazenada lá dentro. O tamanho da erupção depende da quantidade de lava que é lançada para a superfície e da sua composição.
Esses fatores variam muito, não só de um vulcão para outro, mas entre as próprias explosões na mesma cratera. O principal ingrediente da lava é a sílica, em baixa concentração ela produz um magma quase líquido, como o dos vulcões do Hawai. Em excesso, aumenta sua viscosidade, deixando-o quase sólido - o que causa erupções explosivas.
Outro fator é a quantidade de gases dissolvidos no magma. Eles aumentam a pressão no conduto. Se há escombros tampando a cratera, os gases estouram como uma garrafa de champanhe depois de sacudida.


Nem todas as erupções são iguais, distingue-se oito tipos de atividade vulcânica:
Erupção inicial
Atividades explosivas
Expulsão rítmica de cinza
Lagos de lavas
Efusão lenta
Formação de nuvens ardentes
Erupção linear
Erupção submarina

Materiais de origem vulcânica

Os produtos das erupções vulcânicas são lavas e rochas piroclásticas. O aspecto da lava varia de acordo com o grau de fluidez, a composição química, a temperatura, o grau de oxidação, o conteúdo em gases e o tempo de esfriamento, que depende da espessura do derrame e do ambiente aéreo ou aquoso. Todos esses fatores são interdependentes, porque a fluidez é função da composição química e da temperatura, do mesmo modo que o teor de gases, retidos em maior quantidade nas lavas mais viscosas. O aspecto das lavas também varia de acordo com o grau de inclinação do terreno onde se dá o derrame.
Certas lavas têm aparência vítrea, enquanto outras se parecem com escórias de fundição. As lavas mais ricas em sílica são as mais viscosas. Alguns tipos de lava podem reter tal quantidade de gases que se apresentam como verdadeira espuma solidificada, que recebe o nome de púmice, ou pedra-pomes. Os vidros vulcânicos recebem o nome de obsidiana e, na verdade, são lavas mais ricas em sílica.

Classificação dos vulcões

Fundamentalmente, distinguem-se dois tipos de vulcões: ativos e extintos. No primeiro grupo enquadram-se cerca de 600 vulcões dos quais se conhece historicamente algum período eruptivo, enquanto no segundo se incluem cerca de cinco mil crateras das quais se desconhece a frequência dos períodos de atividade. Essa contagem, porém, exclui numerosos focos submarinos cuja atividade não se percebe na superfície do oceano.
Uma classificação mais detalhada distingue quatro estados na atividade de um vulcão: o repouso, fase de esgotamento do vulcão, que frequentemente sucede a uma erupção prolongada; a fase solfatárica que se caracteriza pela emanação de gases e vapor em forma de fumarolas a cerca de 1.000° C de temperatura; a atividade de regime, com rios de lava ou lançamento de escória; e a fase eruptiva propriamente dita, de tipo explosivo.

Vulcões no mundo

A erupção pode ser central, quando se produz na cratera principal; lateral, sobre aberturas secundárias do vulcão; e excêntrica, em pontos distanciados da cratera. Neste último caso, a lava é expelida pelas fendas que surgem nas encostas, e raramente pelas crateras.

Vulcões famosos

Etna - Situado na ilha mediterrânea da Sicília, o Etna, com 3.200m, é o mais alto vulcão ativo da Europa. Entrou em erupção várias vezes nos séculos XIX e XX, o que provocou a destruição de diversas aldeias.
Ao longo da história, o Etna entrou em erupção inúmeras vezes. Na antiguidade, os gregos criaram a lenda segundo a qual no interior do vulcão se encontrava a forja de Vulcano e dos Cíclopes. Também se acreditava que abaixo de seu cone havia um gigante, Tífon, cujos movimentos faziam tremer a terra.
Uma das erupções mais antigas de que se tem referência é a do ano 396 a.C., que dissuadiu os cartagineses do intento de conquistar a região da Catânia. Ficaram famosas a erupção de 1381, quando o rio de lava chegou até o mar; a de 1669, que atingiu a parte sul da cidade de Catânia e na qual, pela primeira vez, se tentou desviar a lava, com a construção de um canal; a de 1852, que causou muitas mortes; a de 1928, que sepultou a aldeia de Mascali; e a de 1983, quando fracassou a tentativa de desviar a lava por meio de sulcos abertos com dinamite.
Vesúvio - As erupções do Vesúvio tem causado enorme perda de vidas humanas ao longo da História, e foi de estudos sobre ele, a partir do final do século XVIII, que surgiu a ciência da vulcanologia.
O Vesúvio é um vulcão ativo, junto da baía de Nápoles, no sul da Itália. A sua altura modifica-se a cada erupção e, no fim do século XX, era de 1.280m. No cume do Vesúvio há uma grande cratera de 600m de diâmetro e 300m de profundidade, proveniente da erupção de 1944. Uma escarpa semicircular, o monte Somma, envolve o cone principal do vulcão pelo lado norte, a partir dos 1.057m de altura. Entre as duas elevações encontra-se o vale do Gigante.

Vesúvio em erupção

O Vesúvio surgiu no pleistoceno, provavelmente há menos de 200.000 anos. Esteve adormecido durante séculos até a violenta erupção do ano 79, que sepultou Pompeia, Herculano e Estábia. Plínio o Moço, que se achava numa localidade a oeste de Nápoles, relatou detalhadamente a catástrofe em duas cartas a Tácito.
A partir de então, registraram-se diversas erupções, até 1036. Seguiu-se longo período de latência, quando florestas cresceram na cratera, de solo muito fértil.
Três lagos davam de beber aos rebanhos que pastavam por ali. Terramotos precederam uma nova erupção grave, em 1631.
A partir de então, a atividade do vulcão tornou-se cíclica, com estágios de repouso durante os quais a boca do vulcão fica obstruída. Os estágios eruptivos variaram, entre 1660 e 1944, de seis meses a quase 31 anos; os períodos de latência, de 18 meses a sete anos e meio.

Tipo de vulcão
Características
Exemplos
Solo ou Platô de Bassalto.
Lava muito líquida; fluxo muito expandido emitido da faturaPlatô do Rio Columbia
Vulcão Escudo ou de Proteção.
Lava líquida emitida da abertura central; grande; às vezes tem caldera de colapso.Monte Larch, Monte Sylvania, Montanhas Butte, Vulcões Havaianos.
Cone de Cinza
Lava líquida explosiva; pequeno; de longa atividade; pode construir um vulcão de proteçãoMonte Tabor, Monte Zion, Colina Chamberlain Hill, Pilot Butte, Lava Butte, Crateras da Lua.
Vulcão composto ou Stratovolcano.
Lava mais viscosa; muito explosivo;grande; emissão de lava da abertura central.Monte Baker, Monte Rainier, Monte Santa Helena, Monte Hood, Monte Shasta.
Cúpula Vulcânica
Lava muito viscosa; relativamente pequeno; pode ser explosivo; frequentemente acontecem adjacentes.Novarupta, Monte Santa Helena na Cúpula de Lava, Monte Lassen, Shastina, Mono Crater.
Caldera
Vulcão composto muito grande que entra em colapso após períodos de erupção explosiva.Crater Lake (Lago Cratera), Newberry, Kilauea, Long Yalley, Medicine Lake, Yellowstone.

Tipos de Atividades Vulcânicas

Segundo Lacroix os tipos de atividades vulcânicas eram quatro:
Havaiana 
Estromboliana 
Vulcaneana 
Peleana
No entanto Alwyn Scarth adicionou dois tipos de atividades vulcânicas à classificação de Lacroix:
Pliniana 
Surtseyana ou fissural
Fonte: www.minerva.uevora.pt

Em nosso continente há vários países que contam com esse tipo de natureza violenta, como é o caso do nosso vizinho o Chile, que enfrenta uma das erupções nessa década deixando seu povo apreensivos em seu entorno.
Felizmente não temos registros de erupção no nosso imenso Brasil, Ao que nos consta só alguns tremores de magnitude baixa em algumas regiões.
Leia Mais »

23 de abril de 2015

A verdadeira descoberta do Brasil - 2ª parte

Por Marcos Mariano do Rebobinando Memória

A ORIGEM DE TODA CORRUPÇÃO A VERDADEIRA HISTORIA DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL ( PARTE 2 )



Ola a todos!!!!

hoje quero dar continuidade a um assunto que deixei pendente aqui, a origem de toda corrupção, a verdadeira história do Brasil que não contam na escola, vimos em postagens passadas ( ver marcador nada alem da verdade ) que: o Brasil não foi "descoberto" em 22 de abril de 1500, conforme regularmente se ensina (e se comemora) e que a missa aqui celebrada em 26 de abriltambém não foi a primeira, em seguida, convém registrar que o "descobrimento" não se deu por acaso, como se costuma (ou se costumava) ensinar nos livros escolares, que o nome Brasil não veio do pau-brasil, e finalmente, quem nos colonizou não foram só bandidos degredados e gente da pior espécie, conforme se afirma injusta e inveridicamente.

Pois bem... Neste post quero dar continuidade a esse assunto, é do conhecimento das pessoas mais evoluídas que existem aspectos, ou mesmo fatos na História, ou ainda até a própria História que são deliberadamente omitidos ou ocultados por razões de quem tem o poder ou de quem quer se proteger dele.

Acreditar, como é ensinado por exemplo no Brasil, que seu descobrimento se deve a uma chegada fortuita e, mais, que o interesse pelo monopólio das especiarias motivou a expansão marítima portuguesa e os descobrimentos é ter, como diz Antônio Quadros, a visão limitada das pessoas que só enxergam até onde a miopia do dinheiro lhes permite.

Veja a primeira parte dessa postagem AQUI

A VERDADEIRA HISTORIA DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL ( PART 2 )

O Plano da "Descoberta"





Se quem conseguiu primeiramente sucesso nas navegações portuguesas foram os reis D. Dinis e Afonso IV, o monarca que ficou com a fama dos descobrimentos foi D. Manuel, o Venturoso, pois foi ele quem tratou da oficialização perante o mundo da descoberta do Brasil. O alegado "descobrimento casual" foi, na verdade, resultado de um plano cuidadosamente preparado durante séculos pelos reis templários lusitanos.

Foi esse plano que levou o rei D. Dinis a reflorestar Portugal, plantando os pinhais para fornecer madeira para as embarcações, duzentos anos antes do "descobrimento" oficial, e a criar a primeira armada portuguesa, com auxílio de navegadores genoveses. Depois disso, os reis dele descendentes continuaram o projeto de chegada à "terra prometida".

Os mapas e registros dessa terra e das correntes marítimas para a ela chegar (oriundos dos navegadores fenícios e hebreus), juntamente com profecias detalhadas sobre esse longínquo mundo, teriam passado ao poder dos cavaleiros templários quando, no século XII, fundaram a Ordem do Templo em Jerusalém, no mesmo local onde antes se situara o templo de Salomão.


A Origem Templário (Espiritual ) dos Descobrimentos


Assim como o Império Romano se deveu ao estoicismo( doutrina filosófica ), Portugal do século XV ao XVI foi dono da metade do planeta e ainda invencível em terra e nos mares porque tinha um alvo muito além do mero interesse pelas riquezas, que certamente houve.

O Porto do Cálice ou Porto do Graal (Portugal), país templário por excelência, era naquele período um conjunto de forças e aspirações superiores condensados num só sentido: a expansão da fé de Cristo e a formação do Reino do Espírito Santo, baseado na tradição templária, com sua visão joanina, fundamentada na doutrina de Gioachino di Fiori sobre o advento da Terceira Idade - impelia-os a fé no destino de uma pátria messiânica portuguesa.

O principal motivo secreto dos descobrimentos, como bem assinalam Antônio Quadros e outros autores, foi de ordem espiritual: o desejo de construir o Quinto Império ou reino do Espírito Santo no mundo.

Para tanto,ambicionavam chegar à Grande Ilha que, segundo as profecias, estaria destinada para tal propósito.


Historiador Rainer Daenhardt


Rainer Daenhardt, historiador alemão, afirma que não é por acaso que os grandes navegadores portugueses dos séculos XV e XVI eram membros das ordens de Cristo e de Avis, nem é por motivos fortuitos que levavam em suas embarcações a cruz da Ordem de Cristo nas velas.

"A expansão do mundo português não foi o resultado ocasional de aventureiros que se lançaram à procura de conquistas de novas rotas marítimas para enriquecerem rapidamente e de qualquer maneira. Na História escrita por mãos portuguesas não houve a aniquilação sistemática de povos, religiões ou culturas, ao primeiro contato, como a extinção dos astecas, no México, dos Incas no Peru e dos Guanches nas Canários, por exemplo. Com a Ordem de Cristo foi tudo diferente.

Para esse escritor, a expansão portuguesa não foi sempre pacífica, mas de qualquer modo, uma pequena nação pôde escrever páginas significativas na História da Humanidade, sem impor extermínio de populações. Foram cavaleiros iniciados que navegaram por todos os mares e levantaram padrões com símbolos da Ordem de Cristo, da Cruz de Avis e da Cruz das Quinas, circundada pelo escudo dos castelos.

Afirma Daenhardt que a orientação da Ordem de Cristo, que supervisionava toda a expansão marítima, imprimiu uma vontade férrea à atuação portuguesa, liderada por cavaleiros iniciados, vivos exemplos de uma interpretação da fé, bem diferente da missão que lhes estava destinada. Essa já era a força da "Fé de Portugal".

O nome Brasil não veio de "Pau-Brasil"


Conforme foi afirmado em posts passados ( ver marcador nada alem da verdade ), o nome Ilha Brasil já existia antes do descobrimento oficial do Brasil por Pedro Álvares Cabral – quando, em 1343 o navegador Sancho Brandão representou o continente com o nome de Ínsula Brasil ou Brandam.


O pesquisador Felipe Cocuzza explica que "durante a Idade Média, a lendária Ilha Brasil povoou a poesia, os mapas, as tradições, as profecias e o folclore. A palavra Brasil tem duas etimologias convergentes: o germânico brasa, que passou ao Latim e ao Português, de onde veio a designação pau-brasil, devido à cor vermelha e o celta BRAS ou BRES, paralelo ao inglês BLESS que significa benção; prende-se ainda ao hebraico BRACHA (ch aspirado como em alemão) também com o sentido de benção e ao sânscrito BRHAMA da raiz BRITH, expandir, irradiar; brilhar, com o sentido de Deus, benção, suma ventura. Portanto, Ilha Brasil quer dizer Ilha Abençoada.


Livres-Pensadores, não Degredados

Diversos autores apontam que uma das maiores injustiças feitas ao Brasil é dizer que foi povoado por degredados, gente da pior espécie. Ao mesmo tempo, a história ensinada nos bancos escolares salienta, é claro, que os Estados Unidos foram colonizados por pessoas da melhor espécie. Autores como Cocuzza, Varnhagen, João Francisco Lisboa, entre outros, desmentiram essas duas falsidades infelizmente arraigadas na mente do povo por força de um ensino errôneo.

Na verdade, a maior parte dos degredados não eram prisioneiros de crime comum, mas livres-pensadores perseguidos por motivos ideológicos (Inquisição) como cristãos novos e humanistas. Não nos podemos esquecer, em honra dos portugueses, do belo trabalho efetuado pelos jesuítas (Nóbrega. Anchieta) com suas missões, e pelos franciscanos da Ordem Terceira. As duas ordens religiosas trouxeram ao Brasil a tolerância racial, o culto ao Espírito Santo, a Festa do Divino e o sonho de realizar o Reino de Deus na Terra.

Saliente-se o povoamento feito por levas de famílias açorianas que se fixaram no Rio Grande do Sul - ou que fundaram, entre outros Estados, o do Espírito Santo, cuja capital, significativamente, chama-se Vitória.

Entre os degredados vindos ao Brasil, para felicidade de nossa terra, estavam os festeiros do Divino, que na Europa estavam sendo perseguidos pela Inquisição por anunciarem o futuro Império do Espírito Santo. Neste país, eles organizaram as festas que existem com pujança até os dias de hoje.

Constitui portanto uma insensatez dizer que foi má sorte para o Brasil ter sido colonizado pelos portugueses; que seria melhor termos sido colonizados pelos ingleses, franceses, holandeses, etc. É só ver o racismo, a intolerância e o clima insuportável existente nas terras colonizadas por tais países, para suspirarmos aliviados por termos sido um país descoberto e povoado por lusitanos.


ufa!!!!!
É pessoal vou parar por aqui, mas eu volto com outros artigos, em busca de descobrir a origem de toda corrupção no Brasil, infelizmente tudo que postamos aqui sobre a real história do Brasil que não contam na escola é apenas o começo, é triste saber que já crescemos sendo enganados.

Salvem nossas criancinhas...

Por Marcos Mariano do Blog Rebobinando Memórias em junho de 2010

Nos dias de hoje e os que seguem também se comemoram:
Dia da Terra
22 de Abril
Dia da Terra
Dia da Força Aérea Brasileira
22 de Abril
Dia da Força Aérea Brasileira
Dia do Descobrimento do Brasil
22 de Abril
Dia do Descobrimento do Brasil
Dia de São Jorge
23 de Abril
Dia de São Jorge
Dia Mundial do Escoteiro
23 de Abril
Dia Mundial do Escoteiro
Dia Mundial do Livro
23 de Abril
Dia Mundial do Livro
Leia Mais »

Lomadee

Sustentabilidade

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Comentários recentes

Rádio Educadora da Bahia

Rádio Educadora da Bahia
Rádio on line de boa qualidade

Perfil dos autores e selosrecebidos

Lu Cidreira
Simone Reis

Rita Cidreira





Selo Dardos oferecido pala nossa amiga Nanda do blog Passe o tempo lendo: http://passetempolendo.blogspot.com.br/
/>
Agradecemos aos Blogs Parceiros e amigos que ofereceram as selos acima expostos, pois é de uma importância enorme para um administrador de blogs essas indicações e incentivos. OBRIGADO. ------------------------ Vamos Aplaudir o blog da nossa amiga Yayá Artes e Escritas por já ter alcançado os 700 seguidores, parabéns.
Google PageRank Checker

Feed de inscrição

Inscriçoes do Feed Icon Subscribe in a reader Botões adicionar A
Share |
Botão G + Google+

Postagens anteriores







Licenciamento e proteção

MyFreeCopyright.com Registered & Protected
Indique sempre fontes e autorias das cópias. A originalidade é nossa meta.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 License .

Feed Jet Diga não as letrinhas

Ligue Bateria Rio de Janeiro capital

Ligue Bateria
Você da cidade do Rio de Janeiro, seu carro parou? É só ligar que o socorro será imediato.
Traduzido Por: Template Para Blogspot - Designed By Seo Blogger Templates