Dias de vida do Blog

Votação Top Blog

Agora é 2º turno deixemos os votos para os especialistas.
Então votem o quanto puder, uma vez por e-mail's quantos tiverem e uma vez pelo Facebook.



Total de visualizações de página

29 de julho de 2014

Momento de reflexão - Quando os Filhos Crescem

| 4 comentários
E ainda muito atual essa reflexão.

Há um momento, na vida dos pais, em que eles se sentem órfãos. Os filhos, dizem eles, crescem de um momento para outro. 

É paradoxal. Quando nascem pequenos e frágeis os primeiros meses parecem intermináveis. Pai e mãe se revezam à cata de respostas aos seus estímulos nos rostinhos miúdos. 

Desejam que eles sorriam, que agitem os bracinhos, que sentem, fiquem em pé, andem, tudo é uma ansiosa expectativa. 

Então, um dia, de repente, ei-los adolescentes. Não mais os passeios com os pais nos finais de semana nem férias compartilhadas em família. 

Agora tudo é feito com os amigos. 

Olham para o rosto do menino e surpreendem os primeiros fios de barba, como a mãe passarinho descobre a penugem nas asas dos filhotes. A menina se transforma em mulher. É o momento dos vôos para além do ninho doméstico. 

É o momento em que os pais se perguntam: onde estão aqueles bebês com cheirinho de leite e fralda molhada? Onde estão os brinquedos do faz-de-conta, os chás de nada, os heróis invencíveis que tudo conseguiam, em suas batalhas imaginárias contra o mal? 

As viagens para a praia e o campo já não são tão sonoras. A cantoria infantil e os eternos pedidos de sorvetes, doces, pipoca foram substituídos pelo mutismo ou a conversa animada com os amigos com que compartilham sua alegria. 

Os pais se sentem órfãos de filhos. Seus pequenos cresceram sem que eles possam precisar quando. Ontem eram crianças trazendo a bola para ser consertada. Hoje são os que lhes ensinam como operar o computador e melhor explorar os programas que se encontram à disposição. 

A impressão é que dormiram crianças e despertaram adolescentes, como num passe de mágica. 

Ontem estavam no banco de trás do automóvel, hoje estão ao volante, dando aulas de correta condução no trânsito. 

É o momento da saudade dos dias que se foram, tão rápidos. É o momento em que sentimos que poderíamos ter deixado de lado afazeres sempre contínuos e brincado mais com eles, rolando na grama, jogando futebol. 

Deveríamos tê-los ouvido mais, deliciando-nos com o relato de suas conquistas e aventuras, suas primeiras decepções, seus medos. Tê-los levado mais ao cinema, desfrutando das suas vibrações ante o heroísmo dos galãs da tela. 

Tempos que não retornam a não ser na figura dos netos que nos compete esperar. 

Pais, estejamos mais com nossos filhos. A existência é breve e as oportunidades preciosas. 

Tudo o mais que tenhamos e que nos preencha o tempo não compensará as horas dedicadas aos espíritos que se amoldaram nos corpos dos nossos pequenos, para estar conosco. 

Não economizemos abraços, carícias, atenções porque nosso procedimento para com eles lhes determinará a felicidade do crescimento proveitoso ou a tristeza dos dias inúteis do futuro. 


A criança criada com carinho aprende a ser afetuosa. 

A mensagem da atenção ao próximo é passada pelos pais aos filhos. 

No dia-a-dia com os pais eles aprendem que o ser humano e seus sentimentos são mais importantes do que o simples sucesso profissional e todos os seus acessórios. 

Em essência, as crianças aprendem o que vivem.
Fonte: Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no artigo da revista Seleções de setembro/98, "Antes que elas cresçam".
Imagem: Google meramente ilustrativa.

27 de julho de 2014

Curiosidade sobre o mel

| 5 comentários
O mel não estraga, segundo a FDA, órgão que regulamenta alimentos nos Estados Unidos. Mas, na verdade, o mel vence sim, geralmente em dois anos, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O longo prazo de validade está associado ao fato de que o alimento é um ambiente impróprio para a sobrevivência da maioria dos microrganismos. O mel tem cerca de 80% de açúcar e 17 a 22% de umidade, características que inibem a proliferação dos micróbios que causam sua deterioração, explica Bruno Souza, pesquisador do Núcleo de Pesquisas com Abelhas da Embrapa Meio-Norte.

Além disso, o mel é um meio ácido, com pH de aproximadamente 3,91 (para comparar: o suco de laranja tem pH 3,5). “Como se não fosse suficiente, contém peróxido de hidrogênio, conhecido popularmente como água oxigenada, capaz de proteger o produto contra a decomposição bacteriana”, acrescenta Fábia Pereira, também pesquisadora do Núcleo da Embrapa Meio-Norte.

Mas, ainda assim, o mel pode estragar. Se ele não for colhido e processado da maneira correta ou se o produtor não tiver cuidados com a higiene, ele pode fermentar, formando álcool ou vinagre. “Isso pode facilmente ser percebido pelo consumidor pelo cheiro alcoólico, sabor ácido ou mesmo pela quantidade de espuma presente no mel”, explica Fábia. O processo de envelhecimento pode ser acelerado se o alimento estiver exposto à umidade, à luz e ao calor. “Todos esses fatores são prejudiciais e ajudam no envelhecimento do mel, fazendo com que ele fermente (no caso da umidade) ou perca a validade mais rápido (no caso de luz e calor)”, detalha.

Além disso, como se trata de um alimento, sua composição se altera com o tempo. Existem alguns componentes presentes no mel que aumentam com o tempo de armazenamento, enquanto outros diminuem, explica a pesquisadora. Um dos compostos que aumentam é o HMF (hidroximetilfurural), considerado uma substância cancerígena.

Fonte: Superinteressante
Imagem Google meramente ilustrativa, não se assustem com a imagem do Belo entre a postagem, lá na Superinteressante em?

24 de julho de 2014

Dia do Escritor

| 4 comentários

O 25 de julho foi definido como dia nacional do escritor por decreto governamental, em 1960, após o sucesso do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado naquele ano pela União Brasileira de Escritores, por iniciativa de seu presidente, João Peregrino Júnior, e de seu vice-presidente, Jorge Amado.
Escrever pode ser um ofício, um passatempo, uma forma de desabafo, uma manifestação artística.
A escrita tem várias funções dentro da linguagem e o verdadeiro escritor é aquele que sabe utilizar-se de cada uma destas funções para atingir seu objetivo, seja ele informar ou encantar quem o lê.
Antes do século VI a.C., as grandes narrativas eram passadas oralmente. Desde a invenção da escrita, essas histórias puderam ser repassadas e permanecer na história em sua forma inicial, já que o discurso oral sempre apresentava variações (basta lembrar do ditado: "quem conta um conto aumenta um ponto").
Assim, temos registros de grandes escritores da Antiguidade, da Idade Média, do Renascimento... e, graças a eles, temos escritos históricos de épocas remotas; ficções de fadas e dragões medievais; mitos e lendas antigos; tratados de medicina e alquimia; compêndios de estudos filosóficos e religiosos.
O escritor convence graças ao poder de sua paixão pela palavra, e não prioritariamente pela paixão que dedique a uma causa.
Ou melhor, a sua causa sempre foi e será a palavra, caminho e céu de todas as causas. E de todas as paixões.
O texto literário nasce das mãos do escritor. No dia do escritor comemoramos a solidão diante da palavra, a verdade, o medo, a alegria, o amor indizíveis de só saber escrever.
Escritor é o artista que se expressa através da arte da escrita, ou, tradicionalmente falando, da Literatura. É autor de livros publicados, embora existam escritores sem livros publicados (chamados, por alguns, de amadores).
No Brasil, podem-se citar muitos exemplos de escritores considerados célebres, como Machado de Assis, Guimarães Rosa, Euclides da Cunha, Clarice Lispector e Luis Fernando Veríssimo, tal como em Portugal, onde surgiram nomes como José Saramago, Lídia Jorge, ou os falecidos Eça de Queiroz e Miguel Torga, entre muitos outros que, mesmo não sendo tão reconhecidos mundialmente, deixaram um importante legado no panorama da Literatura lusófona.
Escritor não é necessariamente o profissional que escreve romances (romancistas), pois o autor de livros de auto-ajuda e de textos jornalísticos pode também ser considerado um escritor.

Fonte: Nossa Língua, Nossa Pátria,  www.pariagrande.org
Imagem: Google, meramente ilustrativa.
Nesse dia também se comemora os dias;

Dia de São Cristóvão
25 de Julho
Dia de São Cristóvão
Dia do Colono
25 de Julho
Dia do Colono

Dia do Motorista
25 de Julho
Dia do Motorista

É um pesar que no mês de julho tenhamos perdido já quatro  dos nossos grandes mestre da literatura nacional, João Ubaldo Ribeira , Rubem Alves e Autran Dourado autor da Ópera dos Mortos sem falar  do paraibano Ariano Suassuna que acometeu-se de um AVC hemorrágico vindo a falecer no dia 23/07/2014 no Hospital Português do Recife.
Então a nossa cultura fica órfã com as perdas desses monstros da literatura brasileira citado acima. 
O legado deixado pelos grandes mestres fica para que todos nós possamos buscar um pouco dessa cultura escrita por eles, para quem gosta de ler fica ai a dica!
Esperamos que os leitores de plantão venham buscar mais conhecimento dentro dos livros, jornais e escritos deixados por esses magnânimos formadores de opinião.

Comentários recentes

Clique aqui e mande seu e-mail
Fale conosco

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Seguidores

Seguidores do Google+

Arquivo do Blog

Feedzilla Widget BEGIN

Estamos de Olho!

Sign by Danasoft - For Backgrounds and Layouts

BlogUp

Lu Cidreira Vídeos

Loading...

Adicione ao FeedTurbo

Agradecimento


Hot Myspace Generators
Fique em forma nada de preguiça Faça seus exercícios na hora certe.

Protetores e licenças

MyFreeCopyright.com Registered & Protected
Indique sempre fontes e autorias das cópias. A originalidade é nossa meta.
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 License .