Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

13 de março de 2009

Março mês da Mulher Homenagem

8 de março
1929 nasceu Hebe Camargo

Dia Internacional da Mulher
Hebe Camargo está indissoluvelmente ligada à História da TV Brasileira. Sua figura carismática e sua simpatia contagiante, fizeram dela a grande Dama da TV.
Ninguém sabe, igual a ela, consertar os pequenos tropeços que acontecem nas transmissões de programas ao vivo.
E, curiosamente, tinha sido ela a escolhida para cantar o hino da TV Brasileira, no dia da inauguração da primeira TV da América Latina, a TV Tupi, em 18 de setembro de 1950. Mas, na última hora, foi substituída por Lolita Rodrigues (que é um das melhores amigas de Hebe até hoje), já que ela não apareceu. É que o amor falou mais alto e Hebe, que tinha apenas 21 anos de idade, preferiu, naquela noite, ir namorar... pelo menos, é o que dizem. Se é verdade, só ela pode dizer. É verdade, Hebe?
Ela já nasceu com esse nome de artista: sonoro e fácil de guardar. Hebe Camargo não é pseudônimo, é o nome mesmo da filha de Ester e Fego Camargo, um violinista que animava as sessões de cinema no tempo do cinema mudo.
Quando veio o cinema falado, Fego perdeu o emprego e Hebe teve uma infância de dificuldades financeiras.
Na década de 1940, Hebe e sua irmã, Estela, formaram uma dupla caipira: Rosalinda e Florisbela.
Hebe estava no grupo que foi ao Porto de Santos para buscar os primeiros equipamentos para a instalação da nossa primeira TV, a Tupi, de Assis Chateaubriand.
Se Hebe não cantou o hino na noite da inauguração da TV, ela estava lá, na programação ainda de 1950, apresentando, ao lado do cantor Ivon Cury, o programa “Rancho Alegre”.
Nesta época, Hebe era morena. Mas, em 1957, mudou radicalmente seu visual, tornou-se loira e começou a apresentar o programa “O Mundo É das Mulheres”, com direção de Walter Forster, na TV Paulista, canal 5 (que depois se tornaria TV Globo).
Em 10 de abril de 1966, estréia na TV Record o programa que colocaria Hebe Camargo como a entrevistadora de maior audiência na nossa TV.
Levava o nome dela (como até hoje) e foi neste programa que ela consagrou o seu bordão “é uma gracinha, né?” e ficou famosa por consertar magistralmente tanto as suas próprias gafes como as de seus convidados.
Foi ainda neste programa que ela deu espaço para novos talentos, como Roberto Carlos e Ronnie Von, que deve a ela seu apelido de “Pequeno Príncipe”.
Fazia também um programa diário na Rádio Joven Pan.
Hebe passou por todas as TVs importantes, menos a Globo. Um dia, disse no ar, sobre a Rede Globo: “Lá, eles não me deixariam falar o que eu falo”.
Nair Bello, Lolita Rodrigues e Ronald Golias estão entre os seus melhores amigos.
Desde 1986, Hebe faz seu programa semanal no SBT. Com aquela espotaneidade que é sua marca registrada.
Também é cantora. Gravou vários discos e amargou uma vaia daquelas num Festival da TV Record, nos anos sessenta. É antológica a cena do close-up de sua mão, crispada, esmagando uma rosa, enquanto prosseguia seu canto e a vaia do público.
Hebe foi casada com Décio Capuano e Lélio Ravagani. Com Décio teve seu único filho: Marcelo.
Hebe nunca teve medo de dizer o que pensa e se coloca como favorável ao aborto. Reclama dos políticos, denuncia criminosos, e promove aqueles que julga que devem ser promovidos.

Assim como a nossa Hebe, outras mulheres importantes também nasceram no Dia Internacional da Mulher:
1892 - Juana de Ibarbourou, poetisa uruguaia (m. 1979)
1911 - Maria Bonita, cangaceira brasileira (m. 1938)
1912 – Diná Lopes Coelho, crítica de arte
1941 - Neuza Borges, atriz brasileira
1946 - Tonicha, cantora portuguesa
1947 - Carole Bayer Sager, compositora estado-unidense
1957 - Teresa Ceglecka-Zielonka, política polonesa
Fonte: Izabel Vasconcelos
Visite site ao lado.

3 comentários :

  • Rita Cidreira says:
    13 de março de 2009 20:04

    OI, meu Irmão, Valeu por ter lembrado de colocado esse icone, como exemplo de Mulher. Ele é mesmo especial...
    Muito BOM.
    Parabéns.

  • Franz Kreuther Pereira says:
    14 de março de 2009 10:19

    OI, Cidreira. Vim agradecer pela visita e comentario. Seu blog é muito bom, tão bom quanto chá de cifreira (desculpe, mas nao deu pra evitar. Heheheee....). É bem construído, com boas postagens e ilustrações e gadgets bem distribuidas. Apreciei navegar por aqui. Parabéns! Franz

  • Franz Kreuther Pereira says:
    14 de março de 2009 10:21

    Ah, ia esquecendo! A logo ficou ótima.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.