Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

29 de abril de 2010

POESIA









Tantas buscas, tantos desejos,
Tantas esperas, Para que?
Uma demonstração futilizada na vontade do TER.
Realizada a vontade, descobre-se que algo mais existe!!!
A revelação do sentido da vida abre-se trazendo consigo a razão.
Demonstrando-se que a vontade do TER é totalmente evasiva.
Descobre-se enfim que a efêmera vida, necessita do SER,
para realização da purificação do sentido
prazeroso que é AMAR!

9 comentários :

  • Felina Mulher says:
    29 de abril de 2010 21:44

    Linda e tão profunda a tua poesia Rita."É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado" ... Sabe querida, hj eu estou meio Jururu,e quando estou triste me calo, prefiro que seja assim...
    Na verdade eu tenho é medo de falar
    coisas ruins.
    E se choro é escondidonão gosto de repartir minha dor...
    Prefiro dar aos que amo
    uma boa fatia de amor.E essa fatia é pra vc Rita, essa Erva chamada Cidreira.

    Bjinhos.

  • Guará Matos says:
    29 de abril de 2010 22:25

    Ter, Ser, Amar
    Viver e sonhar.
    As relações são tão complexas.
    Somos assim.

  • FERNANDO says:
    30 de abril de 2010 07:46

    Bonito, isso.
    A despeito da complexidade do tema, seu poema exmprime uma síntese deveras interessante.
    Abraços e um ótimo final de semana pra vocês.

  • Prof. Adinalzir says:
    30 de abril de 2010 16:40

    Achei muito sensível e inteligente a poesia. Valeu!

    Estarei dando uma passadinha em todos os outros blog do Lu.

    Um grande abraço!

  • Felina Mulher says:
    30 de abril de 2010 22:12

    Meus amigos passando pra desejar à vcs um excelente feriado.

    Um beijo da gata Felina.

  • Meias de Seda (Suzy) says:
    30 de abril de 2010 22:59

    Boa noite, florzinha!
    Mais uma bela poesia...parabéns!
    Perdôe a ausência, mas estou me recuperando de uma virose que me deixou derrubadíssima.
    Bom final de semana, meus queridos!
    Bjos ;)

  • Dom (Thomaz) says:
    30 de abril de 2010 23:48

    Muito boa o poesia, com muitas verdades.

  • Cris says:
    1 de maio de 2010 12:18

    Rita Cidreira!
    Uma vez mais peço permissão!

    Como vc bem diz:
    O que é o SER sem o TER?
    Necessariamente, não falo do carnal, mas do social.
    Alguém que procura e que têm
    tantos desejos! Uma criança!
    Talvez uma mãe, fosse a realização total de alguns seres!

  • VELOSO says:
    9 de junho de 2010 13:28

    Gosto daqui OS CIDREIRAS ainda vão dominar o mundo! Lindo poema!

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.