Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

4 de junho de 2010

Filosofando...

Justiça com pendolos iguais.
UMA ANTIGA LENDA ÁRABE

 
Conta uma antiga lenda que na Idade Media um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor era pessoa influente do reino e por isso, desde o primeiro momento se procurou um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino.

O homem foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para condena-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.

O juiz, que também estava combinado para levar o pobre homem a morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado que provasse sua inocência.

Disse o juiz:
- "Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor: vou escrever num pedaço de papel a palavra INOCENTE e no outro pedaço a palavra CULPADO. Você sorteara um dos papéis e aquele que sair será o veredicto".
- "O Senhor decidirá seu destino", determinou o juiz.

Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance do acusado se livrar da forca. Não havia saída.

Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um.

O homem pensou alguns segundos e pressentindo a "vibração" aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu. Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.


- "Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual seu veredicto?"
- "É muito fácil", respondeu o homem.
"Basta olhar o outro pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o contrário."
Imediatamente o homem foi liberado.



MORAL DA HISTORIA:
Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar até o ultimo momento. Saiba que para qualquer problema há sempre uma saída. Não desista, não entregue os pontos, não o deixe derrotar. Persista, vá em frente apesar de tudo e de todos, creia que pode conseguir.
Autor desconhecido, caso venha a saber entre em contacto que daremos os creditos.

8 comentários :

  • Guará Matos says:
    4 de junho de 2010 18:09

    Bem interessante e sábia.
    Abraços.

  • Prof. Adinalzir says:
    4 de junho de 2010 20:28

    O texto mostra a sabedoria dos grandes mestres, que aí no caso foi o juiz.

    Aproveito para dizer que já votei no seu blog. Agora é só torcer!

    Abraços, :-)

  • Prof. Adinalzir says:
    4 de junho de 2010 20:33

    Acabei de arrumar mais quatro votos para o seu blog.

    Rsrs... agora é só torcer!

  • Eu Meus Reflexos e Afins says:
    4 de junho de 2010 21:59

    Ei!
    Sabe lendo aqui creio ainda mais na necessidade de pensar antes de quaquer outra coisa.
    Estive calada por 23 anos,mais uns 3 só aprendendo o que podsso tudo.E hoje calar e penar pra falar e agir na hora certa é que me aflige.
    Sabedoria é a palavra....pois ela dá o tempo exato da ação.
    Vou guardar o texto na mente e no coração.
    Lindo sabado.
    Bjins entre sonhos e delírios

  • FERNANDO says:
    6 de junho de 2010 09:44

    Pois é, Luizão, situações desesperadoras exigem medidas desesperadas, e a solução encontrada pelo acusado foi mais do que criativa.
    Eu não sei quem é o autor dessa história, mas conheço uma variante publicada por Malba Tahan em sua compilação de contos árabes. Para não me estender demais neste comentário, vou ver se encontro o livro, transcrevo a fábula e lhe envio por e-mail.
    Abraços e bom domingo.

  • Cris says:
    6 de junho de 2010 19:43

    Infelizmente, também desconheço o autor de tão bela fáula, mas citando Platão:"A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento." Bjos!

  • Cris says:
    6 de junho de 2010 19:55

    Perdão, eu quis dizer fábula e ñ fáula. Bjs!

  • Denise Guerra says:
    7 de junho de 2010 23:55

    MUITO LEGAL ESTE TEXTO!!!Mas, também tem um ditado que diz que o que é do homem o bicho não come; não adiantou o outro trapassear. Bjs!

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.