Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

1 de dezembro de 2010

Dia mundial de combate a AIDS (SIDA)

01 de Dezembro

Porque o laço vermelho como símbolo?

 

 

O laço vermelho é visto como símbolo de solidariedade e de comprometimento na luta contra a aids. O projeto do laço foi criado, em 1991, pela Visual Aids, grupo de profissionais de arte, de New York, que queriam homenagear amigos e colegas que haviam morrido ou estavam morrendo de aids.
O Visual Aids tem como objetivos conscientizar as pessoas para a transmissão do HIV/aids, divulgar as necessidades dos que vivem com HIV/aids e angariar fundos para promover a prestação de serviços e pesquisas.
O laço vermelho foi escolhido por causa de sua ligação ao sangue e à idéia de paixão, afirma Frank Moore, do grupo Visual Aids, e foi inspirado no laço amarelo que honrava os soldados americanos da Guerra do Golfo.
Foi usado publicamente, pela primeira vez, pelo ator Jeremy Irons, na cerimônia de entrega do prêmio Tony Awards, em 1991. Ele se tornou símbolo popular entre as celebridades nas cerimônias de entrega de outros prêmios e virou moda.
Por causa de sua popularidade, alguns ativistas ficaram preocupados com a possibilidade de o laço se tornar apenas um instrumento de marketing e perdesse sua força, seu significado. Entretanto, a imagem do laço continua sendo um forte símbolo na luta contra a aids, reforçando a necessidade de ações e pesquisas sobre a epidemia.
Hoje em dia, o espírito da solidariedade está se espalhando e vem criando mais significados para o uso do laço.
Inspirado no laço vermelho, o laço rosa se tornou símbolo da luta contra o câncer de mama.
O amarelo é usado na conscientização dos direitos humanos dos refugiados de guerra e nos movimentos de igualdade.
O verde é utilizado por ativistas do meio ambiente preocupados com o emprego da madeira tropical para a construção de sets na indústria cinematográfica.
O lilás significa a luta contra as vítimas da violência urbana; o azul promove a conscientização dos direitos das vítimas de crimes e, mais recentemente,
O azul vem sendo adotado pela campanha contra a censura na internet.
Além da versão oficial, existem quatro versões sobre sua origem. Uma delas diz que os ativistas americanos passaram a usar o laço com o "V" de Vitória invertido, na esperança de que um dia, com o surgimento da cura, ele poderia voltar para a posição correta. Outra versão tem origem na Irlanda. Segundo ela, as mulheres dos marinheiros daquele país colocavam laços vermelhos na frente das casas quando os maridos morriam em combate.
Com todas essas variações, o mais importante é perceber que todas essas causas são igualmente importantes para a humanidade.
Porque 1° de Dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids?
O Dia Mundial da Luta Contra AIDS é um dia que, cada ano, deve servir para desenvolver e reforçar o esforço mundial da luta contra a AIDS. O objetivo deste dia é estabelecer o entrelaçamento de comunicação, promover troca de informações e experiências, e de criar um espírito de tolerância social.
O Dia Mundial da Luta Contra a AIDS dá a ocasião de se falar da infecção por HIV e da AIDS, de se ocupar das pessoas infectadas pelo HIV e das doenças da AIDS, e de se saber mais sobre esta doença. Este dia internacional de ação coordenada contra a AIDS constitui já um evento anual na maior parte dos países.
Evocando as atividades de luta já em curso e encorajando novas iniciativas, o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS contribui para edificar uma ação durável contra a AIDS.
Não para a palavra "Aidético"
É sempre importante reforçar essa informação. Sendo a aids uma sigla de língua inglesa (Acquired Immune Dificiency Syndrome) não justifica a derivação em palavra de língua portuguesa. É preciso entender também que a aids não é uma doença, mas sim uma síndrome (conjunto de sinais e sintomas).Além disso, o termo adota a intenção subjetiva de estigmatizar as pessoas que vivem com HIV, o vírus da aids, tornando-as sinônimas da doença.
Dizer que alguém é aidético significa dizer que essa pessoa é a própria doença, que tem uma nova identidade relacionada ao HIV. Destitui-se o cidadão de seus direitos individuais, passando a ser visto como uma pessoa com a morte anunciada. Também é necessário diferençar as etapas da evolução da imunodeficiência.
Os portadores do vírus da aids só desenvolvem a doença quando seus organismos não conseguem mais se defender das doenças oportunistas, ocasionadas pela baixa imunidade (poucos linfócitos T4).
Os termos corretos que deverão ser utilizados, caso seja possível, são: soropositivos para o HIV ou portadores do HIV (tanto para quem tem o vírus como para quem está doente) ou doente de aids (somente para quem já está desenvolvendo doenças oportunistas relacionadas à aids).
Fonte: www.giv.org.br

9 comentários :

  • Lupo says:
    1 de dezembro de 2010 11:32

    Ótimo texto.

  • kleber says:
    1 de dezembro de 2010 12:17

    bom a lepra era um mal muito temido antigamente. Nos tempos bíblicos, as pessoas com lepra eram reunidas e obrigadas a morar longe das cidades, para que a doença não se espalhasse pela população. Jesus, pelo contrário, não discriminou nem fugiu das pessoas com a doença, fingindo não vê-las. Ele tocou o leproso (Mc 1.40-45) e o curou. Assim também somos convidados a agir. Tocar, abraçar, considerar e respeitar muito contribuem para que haja cura, para que as pessoas com HIV/AIDS se sintam cada vez mais parte desta sociedade. Não precisamos conhecer alguém para então agir. Cada pessoa é uma formadora de opinião em potencial.

  • Talles Azigon says:
    1 de dezembro de 2010 13:43

    interessante vê que algumas pessoas consideram os nossos amigos com HIV leprosos e que temos que ter piedade deles em uma atitude santa
    ~~
    bem o HIV é uma realidade ainda bem que hoje temos mais informação mais poderíamos poibir as religiões de fomentarem o não uso da camisinha, e temos que continuar dando ampla assistência aos amigos com o virus, muitas vezes em alguns locais faltam remédios e principalmente no interior

    e precisamos ainda mais continuar combatendo o preconceito e ter uyma visão mais humana.

  • Pelos caminhos da vida. says:
    1 de dezembro de 2010 15:20

    Aqui aprendo cada vez mais...

    beijooo.

  • ALEXANDRE says:
    1 de dezembro de 2010 15:26

    Em alguns países, já se registraram casos de empresas que se recusaram a fazer seguros de saúde para pessoas que fizeram exames de Aids, mesmo que o resultado tenha sido negativo. Se alguém acha que tem alguma chance de estar com a doença, o melhor é se aconselhar antes com um médico.
    por hoje é só

  • Wanderley Elian Lima says:
    1 de dezembro de 2010 19:05

    Oi Lu
    Muito informativo o seu post. aprendi muitas coisas com ele.
    Prevenção é o melhor remédio.
    Abração

  • Blábláblá na rede says:
    1 de dezembro de 2010 21:32

    Oie Lú tudo bem?! Desejo que sim...
    O Brasil precisa vencer muitos preconceitos ainda e a AIDS é um deles, todos dizem já ter aceitado e não ter preconceito mais acredito que de 10 pessoas que dizem, 7 dizem da boca pra fora, pra não ficar "feio" sabe?! Eu tenho uma prima linda, loira e com carinha de anjo que é portadora ha 7 anos, tem uma filhinha linda que não tem o vírus, e minha prima descobriu a doença nos exames pré-natais da filha, o ex-marido que transmitiu...o Brasil é informado mais muitos deixam o sabor do sexo e das drogas falarem mais alto do que os cuidados com sua vida...
    Um abraço e um chêrão, adoro quando vc me visita...rsrs...
    Khelen

  • Blog da Fofa says:
    1 de dezembro de 2010 23:54

    Oi Querido Lu, como sempre, trazendo informação. Informação importante. Por isso que gosto tanto de visitá-lo, sempre estou aprendendo com vc. Bjão querido

  • Paulo Braccini says:
    2 de dezembro de 2010 14:14

    o mundo precisa de mais consciência e responsabilidade com certeza ...

    bjux

    ;-)

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.