Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

12 de dezembro de 2010

NOSSA HOMENAGEM A BELO HORIZONTE

Belo Horizonte
Belo Horizonte
Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais e comanda uma área metropolitana composta por 17 municípios. Situada na porção centro-sul do estado, junto à Serra do Espinhaço, é uma das três mais importantes metrópoles da região Sudeste do Brasil. Seu setor industrial baseia-se na metalurgia, em função da proximidade de extensas jazidas minerais de ferro, sendo que seu segmento automobilístico é um dos mais dinâmicos do país.
É considerada um centro cultural de grande importância, por estar nas proximidades de uma região que, no século XVIII, foi palco de grandes acontecimentos históricos ligados à mineração de ouro.
Fundada em 12 de dezembro de 1897, fruto de um projeto urbanístico que visava criar uma nova capital em substituição à Ouro Preto, Belo Horizonte tinha um traçado apresentando o centro cortado por 65 ruas e 12 avenidas diagonais intercaladas com 24 praças - inspirado no traçado da cidade de Washington.
Sua construção, iniciada em 1894, durou três anos, sendo o autor do projeto o Engenheiro Arão Reis. As obras foram concluídas por Francisco Bicalho

Bandeira e Brasão de Belo Horizonte

A bandeira municipal de Belo Horizonte constitui-se dum campo branco sobre o qual encontra-se o brasão de armas do Município, centralizado.
A Lei n.º 6.938 de 16 de agosto de 1995 dispõe sobre os símbolos municipais de Belo Horizonte.

Os símbolos municipais

Belo Horizonte
Brasão de Belo Horizonte - Incorreto desde 1960
Belo Horizonte
Brasão de Belo Horizonte - Correto desde 1995
Bandeira, brasão de armas, hino e selo, são símbolos cívicos que retratam a história e as características de cada município
Você já ouviu falar em heráldica e vexilologia?
São ciências que estudam, respectivamente, os brasões e as bandeiras. O Brasil tem os seus símbolos nacionais, que são, a Bandeira Nacional, o Brasão da República ou das Armas Nacionais, o Hino Nacional e o Selo Nacional.
Além do país, a Constituição Federal, faculta aos estados e aos municípios brasileiros, a adoção de símbolos próprios para retratar a história e as características de cada um deles. A grande maioria dos municípios adotou como símbolos, o brasão, a bandeira e o hino.
Muitos dos atuais brasões municipais, foram elaborados sem respeitar as normas e as convenções estabelecidas na ciência heráldica, principalmente, na heráldica cívica.
Os símbolos municipais são as formas de representação mais expressivas da imagem das comunidades, e, conseqüentemente, das administrações que as dirigem.
O brasão de armas, assim como a bandeira e o selo municipais, são figuras simbólicas, insígnias que representam a identidade do município, a sua evolução política, administrativa e econômica, bem como os seus costumes, tradições, arte e religião', enfim, é a representatividade de cada município aplicada em suas formas, peças, ornamentos e símbolos. Além de grande parte da população desconhecer os símbolos cívicos do seu município, muitas vezes, estes foram elaborados por artistas que não possuíam nenhuma noção do que estabelece a Heráldica e a vexilologia, respectivas ciências que estudam os brasões e as bandeiras.
Os erros mais comuns, segundo o estudo do pesquisador, estão nos brasões de armas de grande parte dos municípios brasileiros. Para a composição de um brasão de armas, é necessário que se obedeça regras e leis, universalmente aceitas, que regem toda a sistematização da heráldica. Uma destas leis diz respeito ao brasão, que é composto pelo escudo de armas - a peça mais importante -, os ornamentos exteriores, a coroa mural, o listel, seus mantos e tenentes.
Para a composição de cores nos brasões, a heráldica estabelece o emprego de reduzida quantidade de tintas.
As tintas, denominadas esmaltes, são divididas em 3 grupos:
Metais(ouro e prata)
Cores (goles/vermelho, bláu/azul, sinople/verde, sable/preto e púrpura)
Peles (arminho, veiro, contra-armarinho, contra-veiro, arminhado).
Os esmaltes não têm significado simbólico fixo e nem pré-determinado, mas não se usa, no escudo, metal sobre metal, nem cor sobre cor.
A coroa mural é um ornato exterior do escudo e símbolo de soberania. Representa toda a evolução política e administrativa do município. Ela é colocada em cima das armas das cidades, diferindo apenas no número de torres. 'A coroa mural de cinco torres, em metal prata, é para cidades.
De cinco torres, em metal ouro, é privativa de cidade capital de estado. De quatro torres, para vilas e, de três torres, para as demais povoações', esclarece o especialista. O brasão também recebe um listel, que é a moldura ou o filete, com o topônimo - o nome da localidade.
Pode-se atribuir tais erros, pela falta de livros e obras sobre a ciência heráldica, no país, a ocorrência de tantos símbolos municipais fora dos padrões. 'Poucas pessoas no Brasil conhecem as normas heráldicas e as leis que instituem os símbolos cívicos. Daí, a freqüente ocorrência de distorções. Um país se torna forte e respeitado, quando o seu povo conhece, entende, divulga e defende os seus princípios e valores, representados pelos símbolos nacionais, estaduais e municipais'.
Nos brasões de armas de municípios brasileiros, os erros heráldicos mais comuns, segundo o pesquisador, são os de proporção do escudo. Na heráldica, o padrão dos escudos é de 7 x 8. 'Por desconhecimento, vários brasões municipais são apenas artísticos, com formas desconhecidas e fora dos padrões estabelecidos pela heráldica'.
Na coroa mural dos brasões municipais, também são freqüentes os erros na aplicação das cores e números de torres. 'Existem várias cidades cuja coroa mural é da cor metal (ouro) que é privativa à capital de estado; além disso, outro erro comum é o uso abreviado dos meses, nas datas alusivas e ou comemorativas das cidades.
Como por exemplo: 08 - DEZ - 1987, onde 'DEZ' simboliza o mês de outubro. A heráldica é uma ciência universal e cabe a todo heraldista o uso numérico das datas.
No caso: 8 - 10 - 1987'.
Também é muito comum em brasões de cidades brasileiras, o uso de figuras humanas como ornamentos exteriores. Na heráldica, só é permitido o uso de corpo inteiro, à figura de Jesus Cristo e às dos santos.
No caso de outras figuras, é aceito somente o busto. Muitos brasões também usam cores fora dos padrões da heráldica, como azul claro, laranja, verde claro, dentre outras. O uso de metais sobre metais e esmaltes, também é muito comum, contradizendo as leis da heráldica. 'O brasão e a bandeira devem ter as mesmas cores. Cada município, só pode ter um brasão', ressalta.
Para avaliar se os símbolos do seu município estão de acordo com o que estabelece a heráldica e a lei, é necessário que o trabalho seja realizado por um profissional da área, o heraldista ou arauto.
Vale lembrar ainda que, a Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971, determina a forma e a representação dos símbolos nacionais; estabelece a responsabilidade da escola de hastear e guardar a Bandeira Nacional; ostentar na fachada principal, o Brasão da República; e de ensinar os alunos a conhecer, respeitar e cultuar os símbolos nacionais. 'No seu artigo 39, a lei tornou obrigatório, o ensino do desenho e do significado da Bandeira Nacional, bem como o canto e a interpretação da letra do Hino Nacional, em todos os estabelecimentos de ensino público e privado.
Wagner Costa

Fonte: www.timebrazil.com.br, www.descubraminas.com.br

12 comentários :

  • Victor Faria says:
    12 de dezembro de 2010 00:25

    Parabéns, Belo Horizonte!

  • Wanderley Elian Lima says:
    12 de dezembro de 2010 05:47

    Oi Lu
    Nós, belorizontinos, agradecemos pela homenagem e aguardamos sua visita.
    Abração

  • PIMENTA E POESIA says:
    12 de dezembro de 2010 13:45

    Lu, obrigada por escrever sobre nossa amada BH. Ela é tudo de bom: gente linda,culinária maravilhosa, rede de hoteís de alto nível, pontos turísticos que mesclam o gênio Niemeyer e Picasso, árvores centenárias, enfim, vale a pena conhecê-la. Abraços, querido.

  • Blog da Fofa says:
    12 de dezembro de 2010 14:57

    Parabéns Belo Horizonte. parabéns meu amigo Lu, por me apresentar essa cidade maravilhosa. Adoro vir aprender no seu cantinho. Beijos querido

  • Paulo Braccini says:
    12 de dezembro de 2010 15:15

    Obrigado ao Lu.
    Parabéns a BH.

    ;-)

  • Este comentário foi removido pelo autor.
    Guará Matos says:
    13 de dezembro de 2010 08:30

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Guará Matos says:
    13 de dezembro de 2010 08:30

    Gosto muito de BH, por lá morei 2 anos. A Cidade das Alterosas é TDB!
    Um bejo a todos os amigos de BH.
    Bj.

  • Professora Carla Fernanda says:
    13 de dezembro de 2010 09:37

    BOM DIA AMIGO LÚ! MUITO LEGAL A CIDADE E OS MINEIROS SÃO GENTE BOA. FALO NÃO ´PORQUE SOU MINEIRA E A MINHA FAMÍLIA MORA LÁ, MAS PORQUE É VERDADE. QUEM CONHECE SABE.
    OBRIGADA LÚ. APRENDI COISAS QUE ATÉ NEM SABIA.
    CARLA FERNANDA

  • Iza says:
    13 de dezembro de 2010 12:27

    Igual ao Guará, mudou o visual por aqui. Vim deixar um abraço de boas festas para vocês.

  • Lily says:
    13 de dezembro de 2010 20:10

    Lu,

    Eu li a matéria logo que você postou, mas não deu para eu comentar. Mas eu vi, e agradeço muito a homenagem. Não nasci lá, mas me sinto da terra, já que nunca morei onde nasci e passei por várias cidades. Vivi lá por mais de duas décadas e deu saudade ao ver a imagem e ler sobre a cidade.

    Belo Horizonte foi feita para ficar dentro da Avenida do Contorno (daí a razão do nome), mas hoje esse contorno é o miolo, o caroço.

    Um abraço!

    Suzana/LILY

  • Tania regina Contreiras says:
    13 de dezembro de 2010 21:46

    Parabéns a BH!
    Abraços,

  • Rogério Rosa says:
    19 de dezembro de 2010 21:59

    Uai sô! Minas são varias. Quem conheçe não esqueçe nunca mais.
    BH. Beozonte é nossa capital.
    E que belo horizonte ela tem!
    Vale a pena conhecer.
    Aproveite, vá a Sabará.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.