Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

13 de fevereiro de 2011

Semana Contra o Alcoolismo

É difícil estabelecer critérios gerais que diferenciem quem bebe muito de quem é alcoólatra. Não é possível estabelecer um valor numérico, como a quantidade de álcool ingerido, pois cada pessoa tem um metabolismo diferente. O que é muito para uns é pouco para outros e vice-versa.
Atualmente, os critérios usados para definir alcoolismo se baseiam no prejuízo social e pessoal sofridos por quem abusa das bebidas alcoólicas, ou no surgimento de sinais de abstinência e dependência pela interrupção da bebida.
Alcoolismo
A abstinência é a falta que o organismo sente do álcool depois de um tempo prolongado de uso de doses não pequenas. Quando um indivíduo apresenta sinais de abstinência, ele está dependente de álcool, ou seja, quando o álcool é eliminado, o corpo se ressente e essa pessoa passa mal, precisando de novas doses para se "normalizar".
Os principais sinais de abstinência são tremores, náuseas, vômitos, tonteiras, mal-estar, fraqueza. Um dos indicativos de que uma pessoa está dependente é o fato de ter que aumentar a dose da bebida para alcançar os mesmos efeitos de antes.
Como começa o alcoolismo ?
Não temos meios, hoje, de saber com certeza quem será um alcoólatra, antes que a pessoa comece a beber. Já existem, no entanto, resultados concretos que mostram a influência genética. Eles foram conseguidos observando-se filhos de alcoólatras adotados por casais não alcoólatras.
O vício no álcool começa lentamente. Na fase de dependência psicológica, o indivíduo não se considera viciado. Ele acredita que pode parar quando quiser. E como nessa fase o indivíduo não deseja largar a bebida, prossegue até que começa a se prejudicar.
Antes de chegar a esse ponto, muitas advertências são dadas pelas pessoas próximas e todas são sempre desprezadas. Algumas vezes ocorrem até internações, mas o paciente não se convence de que é alcoólatra.
Geralmente culpa a mulher, o governo, o patrão ou a circunstância pelos seus excessos. Enquanto sua condição de dependente do álcool for negada, o paciente continuará bebendo e se prejudicando.
Quem pode se tornar alcoólatra?
Os homens brancos jovens são os mais afetados pelo alcoolismo . O início da dependência ocorre em torno dos 20 anos ou no final da adolescência, sendo diagnosticada somente em torno dos 30 anos de idade. Após a quinta ou sexta décadas de vida, o impulso de beber começa a diminuir.
Tratamento
No mundo inteiro, os melhores resultados têm sido apresentados pela Associação dos Alcoólatras Anônimos (AAA). Sua eficiência é maior do que qualquer forma isolada de psicoterapia ou controle farmacológico. É importante lembrar que um distúrbio psiquiátrico de base pode estar levando o paciente à bebida, como a depressão, a fobia social e outros transtornos. Por isso a investigação das causas deve ser feita pelo psiquiatra.

Dia 13 de fevereiro, começa a Semana Nacional contra o alcoolismo , uma doença que no Brasil, atinge cerca de 15% da população, saiba um pouco mais sobre esse assunto.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o alcoolismo é uma doença física, espiritual e mental. A medicina ainda não sabe porque algumas pessoas desenvolvem a dependência e outras não. Sabe-se que herança genética, personalidade e ambiente social também desencadeiam o problema.
Semana Contra o Alcoolismo
A dependência química é uma doença crônica, cujo tratamento requer uma profunda mudança de atitudes por parte do dependente e sua família. É também conseqüência do uso descontrolado e progressivo da bebida alcoólica. É importante saber que o alcoolismo não é moral, o alcoólatra não bebe por ser fraco de caráter, ele bebe porque está doente.
Esses problemas se referem a diferentes áreas: familiares, educacionais, legais, financeiras, médicas e ocupacionais. Além disso, a doença pode afetar vários órgãos.
"O abuso das bebidas alcoólicas causa uma série de doenças que podem levar à morte. No Brasil, 15% da população é dependente".
Sintomas e sinais
O álcool é uma droga, portanto, sua dependência causa sintomas de abstinência como tremor, náuseas, sudorese, cirrose, gastrite, palpitações etc. O alcoólatra também apresenta queda da capacidade física e mental. A pessoa tem necessidade de álcool, pensa muito na bebida, passa a beber escondido, as brigas com a família ficam mais freqüentes, falta ao trabalho.
Características emocionais
Baixa Auto-estima, depressão, irritabilidade, impotência sexual, sentimento de culpa, baixa tolerância, frustração.
Como começa o alcoolismo ?
O vício no álcool começa lentamente. Na fase de dependência psicológica, o indivíduo não se considera viciado. Ele acredita que pode parar quando quiser. E como nessa fase o indivíduo não deseja largar a bebida, prossegue até que começa a se prejudicar.
Também, existem, resultados concretos que mostram a influência genética. Eles foram conseguidos observando-se filhos de alcoólatras adotados por casais não alcoólatras.
Quem pode se tornar alcoólatra?
O início da dependência ocorre em torno dos 20 anos ou no final da adolescência, sendo diagnosticada somente em torno dos 30 anos de idade.
Após a quinta ou sexta décadas de vida, o impulso de beber começa a diminuir. "Os homens brancos jovens são os mais afetados pelo alcoolismo ".
A recuperação total depende da percepção e do acompanhamento da família. Diálogo, compreensão e amor ainda são os melhores remédios na recuperação do alcoólatra.

Fonte: Planeta Educação, CEDI, www.cancaonova.com

7 comentários :

  • Lindalva says:
    13 de fevereiro de 2011 03:32

    hummmmmmmmm texto interessante Lu só não entendi direito porque os homens brancos jovens são os mais afetados pelo alcoolismo... E ai amigo tudo azul... vim te lembrar que hoje tem festa na Ilha, sei que tu não esqueceu, mas não te dei nenhuma beijoka esta semana então arrumei a desculpa kkkkkkkkkkkkkkkkk SMACKSSS NO CORAÇÃO!

  • Guará Matos says:
    13 de fevereiro de 2011 09:27

    Lu e Simone eu sei da gravidade do alcoolismo mas não posso perder a piada.

    Deixo uma composição que fez muito sucesso com Elizeth Cardoso e depois com Elza Soares.

    EU BEBO SIM

    Eu bebo sim, e estou vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Eu bebo sim, e estou vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Tem gente que já tá com o pé na cova
    Não bebeu e isso prova que a bebida não faz mal
    Uma pro santo, desce o choro a saidera
    Desce toda a prateleira
    Diz que a vida tá legal
    Eu bebo sim, eu to vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Eu bebo sim, e estou vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Tem gente que detesta um pileque
    Diz que é coisa de moleque, cafajeste ou coisa assim
    Mas essa gente quando tá com a cara cheia
    Vira chave de cadeia, e esvazia o botequim
    Eu bebo sim, e estou vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Eu bebo sim, e estou vivendo
    Tem gente que não bebe e está morrendo
    Bebida, não faz mal a ninguém
    Água faz mal à saúde
    Bebida, não faz mal a ninguém
    Água faz mal à saúde.
    _____
    Hahahahaha,
    bjs.

  • Tia Bláblá says:
    14 de fevereiro de 2011 10:53

    Olá meu caro amigo Lú...
    Seus posts sempre antenados e de grande ajuda, realmente nos dias em que estamos o alcóol tem comandado a vida de milhões de pessoas e isso é um grande problema, eu conheço de perto, pois minha mãe já sofreu muito com o alcoolismo do meu avô, mas hoje, graças a Deus, ele já sabe se controlar, depois de um grande tratamento...

    Obrigado pelo carinho, adoro quando vc me visita...um grande abraço.

  • Paulo Braccini says:
    14 de fevereiro de 2011 11:36

    sou radicalmente contra todos o vícios ... os vícios e não os viciados ... estes precisam de nossa compreensão e ajuda ... muito boa a postagens...

    ;-)

  • blog do Walney Batista says:
    14 de fevereiro de 2011 13:54

    Olá estou começando um trabalho e gostaria que você também mim seguisse para enriquecer ainda mais minha página.blog do Walney Batista.Obrigado.Um abraço!

  • Anne Lieri says:
    14 de fevereiro de 2011 18:53

    Lu,um problema muito triste que atinge grande parte de nossa população!Artigo muito bem feito e completo!Bjs,

  • Tania regina Contreiras says:
    14 de fevereiro de 2011 20:00

    O alcoolismo é um problema sério, gravíssimo e tem também o câncer como uma de tantas outras consequências. Diferentemente do que pensam muitas pessoas, o alcoolismo não é vício, é doença. E uma triste doença...
    Beijos,

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.