Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

28 de abril de 2011

28 de abril 1931, nasceu Nair Bello 17 de abril, 2009, morreu Nair Bello.



A atriz e comediante Nair Bello, depois de passar cinco meses internada no hospital, por causa de uma parada cardíaca que sofreu quando estava no cabeleireiro, morreu no dia 17 de abril de 2007, onze dias antes de completar 76 anos de idade.

Uma das grandes damas da TV brasileira, era amiga íntima de outras duas: Hebe Camargo e Lolita Rodrigues.

Nair era supersticiosa, não usava marrom de jeito nenhum (igual ao Roberto Carlos) e se auto-intitulava “perua”: sempre de unhas e batom vermelhos, com acessórios enormes, brincões e colares imensos.

Sua marca era a alegria e ela fez o Brasil rir por décadas.

Nascida no bairro do Cambuci, descendente de italianos e cercada por italianos, ela costumava dizer: “Se tem um papel de italianona, chamam a Nair”. Nas muitas novelas em que trabalhou, fazia sempre a mãe e a italiana. Mas era, acima de tudo, uma comediante. “Adoro rir – dizia – e quando junta com a Hebe então, ficamos impossíveis. Não podemos ir nem a velório”.

A carreira de Nair Bello se iniciou na Rádio Excelsior, em 1949. Em 1950, ela era uma das garotas-propaganda da recém inaugurada TV Tupi de São Paulo. Logo depois, fez seu primeiro filme, contacenando com sua amiga Hebe Camargo:  Liana, A Pecadora, de Antonio Tibiriçá. Em 1952, estava de novo no cinema em Simão, O Caolho.

Nair afastou-se do meio artístico, por três anos, quando se casou com o publicitário Irineu Francisco e teve seus três filhos.

Mas, em 1956, foi para a TV Record.

O sucesso veio em 1959, quando Blota Jr., que percebera seu talento para a comédia, a escalou para um programa de humor.

Nair criou então a personagem Santinha que, contracenando com Renato Corte Real, agradou em cheio ao público e lhe valeu um troféu Roquette Pinto, em 1961. Aliás, ela considerava esta premiação como uma das mais alegrias de sua carreira. Nair Bello dizia que se inspirara em Lucille Ball (I Love Lucy) e também em Dercy Gonçalves.

Em 1962, Carlos Manga a levou para o Rio, onde, no programa de J. Silvestre, fazia o quadro O Riso é o Limite.

Só fez teatro uma vez, em 1976, na peça Alegro Desbum, de Oduvaldo Vianna Filho.

Em 1978 fez João Brasileiro, de Geraldo Vietri, na TV Tupi.

Em 1980, outra vez o sucesso nacional, desta vez na TV Bandeirantes: sua personagem, Dona Santa, uma motorista de táxi, virou antológico na história da televisão.

Depois disso, foi para a Rede Globo, onde fez inúmeras novelas e onde, por fim, retomou o personagem do começo de sua carreira na TV, a Dona Santinha, no humorístico Zorra Total.

Nair Bello, 52 anos de carreira, três filhos, quatro netos, viúva desde 1999, ria muito ao dizer que, além das italianas, só fazia papéis de mãe na TV e que nunca, na telinha, deu um beijo num galã.

Internada no Hospital Sírio Libanês, desde o dia 11 de novembro de 2006, morreu em 17 de abril de 2007.

Fonte: Isabel vasconcellos

10 comentários :

  • Geyme Mannes says:
    28 de abril de 2011 06:22

    Ai caramba, sério que a Nair morreu???? Poxa, fiquei triste agora, o Brasil com certeza perdeu uma grande atriz, comediante e mulher...
    Como nao tenho TV nenhuma do Brasil por aqui, acabo sendo a ultima a saber das notícias...
    Bem, o negócio é desejar luz e paz onde quer que ela esteja!
    Beijo grande, querido Lu!!

  • Brasil Desnudo says:
    28 de abril de 2011 08:35

    Bom dia, meu Amigo!

    Realmente perdemos uma magnífica atriz, de varias faces e facetas, que alegrou e encantou durante décadas nossas telinhas..

    Um grande dia pra ti, querido amigo

    Marcio RJ

  • Guará Matos says:
    28 de abril de 2011 10:26

    Uma espetacular de humor impagável!
    Homenagem mais que justa.

    BJs.

  • Wanderley Elian Lima says:
    28 de abril de 2011 10:37

    Inesquecível Nair Bello, sua presença ficou marcada para sempre.
    Grande abraço

  • Vampira Dea says:
    28 de abril de 2011 22:22

    Atriz realmente maravilhosa com trabalhos importantissimos para o teatro e tv, adorava a sua risada era contagiante.
    Beijão Lú

  • FERNANDO says:
    29 de abril de 2011 14:17

    Oi, Luizão.
    Permita-me chamar a atenção do amigo para o conflito de informações sobre a data do falecimento da artista (2007 ou 2009?).
    Confesso que não tinha grande simpatia por ela, mas elogio sua homenagem.
    Um grande abraço e um ótimo final de semana pra você, meu rei.

  • Kelly Christi says:
    29 de abril de 2011 22:42

    Cidreira, ela ( nair) foi um grande nome, nao so da tv, mas do humor mesmo, o zorra total ja estava um fiasco qdo participava, qdo ela saiu piorou ao extremo, faltam humoristas que se empenhem em tecnica como ela... é o que acho ...rs

  • Prof. Adinalzir says:
    29 de abril de 2011 23:09

    Perdemos uma excelente atriz e uma das melhores da televisão brasileira!
    Abraços e um ótimo fim de semana!

  • Denise Guerra says:
    30 de abril de 2011 10:24

    Esta terra é uma passagem. Ainda bem que temos pessoas especiais passando por aqui e deixando um pouco do seu brilho para nos iluminar! Justa homenagem! bjs!

  • Maria Helena says:
    30 de abril de 2011 17:09

    Olá, amigo!
    Mesmo quando estou em silêncio tenho muitas palavras no coração para você. Às vezes fico meio assim, sem palavras. Só sentimento no fundo do peito. Desculpe-me a ausência.
    Como sempre o seu post é brilhante!
    Eu admirava muito o humor da Nair Bello. Os olhos dela sorriam!
    Um ótimo final de semana!

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.