Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

22 de agosto de 2011

21 de agosto 1889 nasceu Cora Coralina


Como todos os escritores de verdade, Cora Coralina começou a escrever quando ainda criança.
 
No entanto, foi só em 1965, aos 76 anos de idade, que ela publicou seu primeiro livro. E foi somente em 1979, aos 90 anos, que alcançou o reconhecimento da crítica, quando Carlos Drummond de Andrade, o grande poeta, escreveu a ela: “Admiro e amo você como alguém que vive em estado de graça com a poesia; seu livro é um encanto, seu lirismo tem a força e a delicadeza das coisas naturais.
Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, ou Cora Coralina, nasceu em Goiás, na Vila Boa, em 21 de agosto de 1899. Seu pai, Francisco Lins do Guimarães Peixoto, era desembargador, tendo sido nomeado para o cargo pelo nosso Imperador D.Pedro II.
A casa onde nasceu foi construída nos anos 1700 e comprada por sua família no início do século XIX. Ainda está lá e hoje abriga o centro cultural dedicado à memória da poeta.
Cora tinha 14 anos quando publicou seu primeiro conto no Anuário Histórico Geográfico e Descritivo de Goiás: “Tragédia na Roça”. Foi então que começou a assinar com o pseudônimo de Cora Coralina.
Aos 21, Cora se casou com Cantídio Tolentino Barros, um advogado, e foi para São Paulo, tendo morado em algumas cidades do interior e, em 1924, se mudado para a capital.
Foi na cidade de São Paulo que seu marido morreu, deixando Cora com 3 filhos para criar. Naquele tempo, poucas eram as oportunidades de emprego para mulheres e ela resolveu sobreviver primeiro vendendo livros e depois cozinhando,  fazendo linguiças, banha de porco e doces. Foi morar  no interior de São Paulo onde viveu, em várias cidades, até 1956, quando voltou para Goiás.
Mas, durante toda a sua vida, escrevia.
A editora José Olympio publicou seu livro de estréia, em 1965 - Poemas dos Becos de Goiás. Cora tinha 76 anos de idade.  O segundo livro só veio 11 anos depois – Meu Livro de Cordel – e o terceiro em 1983 – Vintém de Cobre.
Foi eleita, neste mesmo ano, pela União Brasileira de Escritores, a Intelectual do Ano e foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Juca Pato.
“Que eu possa dignificar minha condição de mulher – escreveu ela – aceitar suas limitações e me fazer pedra de segurança dos valores que vão desmoronando”.
Cora Coralina morreu, aos 95 anos, em 10 de Abril de 1985. Duas obras póstumas suas foram publicadas.








Fonte: Isabel Vasconcellos

2 comentários :

  • Carla Fernanda says:
    22 de agosto de 2011 16:32

    Boa tarde Lu!!
    Uma grande mulher, sem dúvida.
    Beijos,
    Carla

  • Beth Muniz says:
    22 de junho de 2013 12:21

    Adoro.
    Já postei sobre ela no Travessia.
    Muito bom.
    Um abraço Lu.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.