Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

3 de fevereiro de 2012

Fenômenos da natureza isso tudo atualmente

Isso sim é uma matéria boa de se ler, vejam o que duas pessoas  sensatas Aryane Cararo e Natália Mazzoni diz  a respeito dos dias atuais com relação ao TEMPO, suas mudanças e seus efeitos.

Enchente, seca, deslizamento, tornado... alguém pode explicar?

Chuvas que alagam São Paulo, enchentes em Minas Gerais, deslizamento de terra no Rio de Janeiro, estiagem no Rio Grande do Sul, vez ou outra um tornado em Santa Catarina. Sem falar em tsunami, vulcões e terremotos pelo globo.
O que está acontecendo? O mundo ficou maluco?
Até parece que sim, não é? Por isso procuramos sete especialistas para nos explicar por que acontecem esses fenômenos. Eles contaram que isso ocorre desde sempre e faz parte do equilíbrio da Terra. Mas também nos disseram que alguns têm piorado e as consequências têm sido mais graves. Até por causa da ação do homem no meio ambiente.
“Especula-se que, por conta de mudanças no clima, eventos extremos tendem a ocorrer com uma frequência maior”, diz Otto Correa Rotunno Filho, professor de engenharia civil da Coppe/UFRJ. Veja ao lado os porquês e o que você pode fazer.

TORNADO

É o pior tipo de tempestade: uma coluna de ar que gira violentamente, geralmente em forma de cone, e é bem perigosa. Na ponta mais fina, o tornado toca o solo e fica rodeado por uma nuvem de pó e partículas. Na outra, toca uma nuvem cumulonimbus (com formato de couve-flor) ou uma cumulus. Destrói tudo por onde passa. Acredita-se que surge por mudanças brusças de temperatura.
Está ficando mais comum no Brasil. Na década de 90, se registrava 1 tornado por ano. Hoje, são de 4 a 5.
Há tornados em todos os continentes, menos na Antártida. A maioria acontece na Alameda dos Tornados (Tornado ALley), nos Estados Unidos.

ENCHENTE

É um processo natural que acontece em todos os rios e que é provocada pelo excesso de chuvas, por vários dias. No Brasil, de setembro a março isso é comum. O soto não absorve tanta água, o nível do rio sobe e extravasa. O probLema é que, nas grandes cidades, muitas casas são feitas onde eLe costumava encher. E pior:
muitos rios foram canalizados ou retificados (tornado retos), a vegetação retirada, e o asfaLto e as construções impermeabilizaram o solo, o que agrava as enchentes.
O lixo que se joga nas ruas piora tudo, sabia? Com o vento ou a chuva, ele se deposita em bueiros e bocas de Lobo, entupindo-os. Sem ter para onde correr, a água se acumula e alaga tudo. O Lixo pode chegar ao rio, aumentando os sedimentos no fundo.
O alagamento pode acontecer Longe do rio. Quando chove muito em pouco tempo, em Locais com bastante asfalto e concreto, a água se acumula, aLaga. Ela escoa em poucas horas, diferente da enchente, que demora.
Já viu pneus e até sofás nos rios? Imagine que esse material todo, mais o barro e outros detritos provocam o assoreamento do rio. Ou seja, se acumulam no fundo e diminuem o espaço para a água.

Sua parte

Não jogue Lixo em ruas e rios. Se tiver quintal, por que não deixar uma área gramada ou com plantinhas?

ESTIAGEM

A falta de chuva pode provocar a estiagem, que é como a seca, mas por um período de tempo limitado. Isso acontece por vários motivos. Um deles é a La Niiia, que está atuando este ano. Ela é um fenômeno que causa o resfriamento das águas do Oceano Pacífico, o que mexe com o clima de boa parte do mundo. No Brasil, ela tende a trazer mais estiagem no Sul e mais chuvas no Nordeste. Além disso, à medida que as cidades crescem ou que a vegetação é retirada para virar área de plantação ou criação de gado, o solo fica desprotegido e isso é um risco, especiaLmente se acontece em área de nascente de rios.

No campo

Com menos chuva, o equilíbrio de calor entre o soLo e a atmosfera se perde. A temperatura no ar e no solo aumenta, o que diminui a capacidade da terra dar frutos. Assim, Legumes, verduras e 
frutas ficam mais caros no mercado.

Desertificação

Os produtores começam a irrigar artificiaLmente a plantação. Às vezes, exageram e “lavam” o solo, ou seja, tiram os nutrientes dele. Com isso, acontece a perda de qualidade da terra, podendo transformar tudo num deserto. É o que ocorre no sudoeste do Rio Grande do Sul.

Nas cidades grandes

A estiagem diminui os reservatórios de água e piora a poluição. Com isso, temos de adotar rodízio de abastecimento de água e também respiramos pior, pois a chuva Limpa o ar, retirando parte dos poluentes.

O que fazer?

Se puder, plante árvores ou tenha plantinhas em casa, que reduzem a sensação de calor.

DESLIZAMENTO DE TERRA

É quando o solo ou rocha perde a estabilidade e se movimenta. Faz parte da dinâmica da Terra, como os vulcões. No Brasil, a chuva é a grande responsável peLos desLizamentos. Mas, para isso, é preciso que o volume de água seja grande, o Local seja bem inclinado (montanhas), o soLo seja arenoso ou as rochas mais fraturadas, ou ainda que a camada de terra entre a rocha e a superfície seja rala, e que as raízes das árvores não sejam profundas o bastante para ajudar a segurar o solo.
No Brasil, os deslizamentos são comuns em Locais como a Serra do Mar (que vai de Santa Catarina ao Rio de Janeiro). Não há como evitá-Los. O que pode ser evitado são as vftimas. Por isso, é importante não construir casas nos morros e áreas de risco. 
Raios 
As nuvens de tempestade têm vapor de água e partículas de gelo, que se chocam e ficam carregadas eletricamente. Cargas positivas escapam e se encontram com as negativas. Isso dá origem a uma faísca, que dá início ao raio.
Quando há um raio, a luz aquece o ar, que se expande e produz som. o trovão. Embora os dois aconteçam quase juntos, vemos primeiro a luz pois eta viaja numa veLocidade muito mais rápida. ELa vai a 300 mil quilômetros por segundo e o som a 300 metros por segundo. Quanta diferença! 
Quer saber a que distância o raio caiu de você?
Assim que avistá-lo, conte os segundos até ouvir o trovão. Então, muLtipLique por 300 e você terá a distância em metros.
Por exemplo:
5 segundos x 300 = 1.500 m
Sabia que o Estado de São PauLo teve 109.680 raios só em janeiro? E que no ano passado a capitaL registrou recorde de raios num só dia? Foi em 16 de fevereiro: 
2.264 relâmpagos!

Como acontece?

As rochas têm poros por onde a água infiltra e é armazenada. Se chover muito e o solo ficar “encharcado”, ele perde o equiLíbrio. É como uma esponja: quanto mais moLhada, mais mole e sem forma.
Por Aryane Cararo e Natália Mazzoni
Fonte: estadao.com.br



1 comentários :

  • Anne Lieri says:
    3 de fevereiro de 2012 12:54

    Lu, de fato um texto muito interessante e esclarecedor1Na verdade,tomamos o lugar da chuva, das coisas da natureza....rsss...um texto para pensar e fazer a nossa parte para melhorar!Bjs,

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.