Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

9 de abril de 2012

Reflexão


Onde estás Deus, que não respondes?

Assim, o poeta Castro Alves inicia seu poema Vozes da África. É o lamento do Continente Africano, vendo seus filhos serem levados como animais ao mercado de escravos. 

Deus! Ó Deus! Onde estás que não respondes!
 

Em que mundo, em qu´estrela tu t´escondes
 

Embuçado nos céus?
 

Há dois mil anos Te mandei meu grito,
 

Que embalde, desde então, corre o infinito...
 

Onde estás, senhor Deus?
 

À semelhança dos versos do poeta, muitas vozes se ergueram quando aconteceu o 11 de setembro de 2001, para indagar onde estava Deus naquele momento.
 

Por que permitiu que mais de duas mil vidas fossem destroçadas naquela manhã?
 

Por quê?
 

Poder-se-ia perguntar ainda onde estava Deus quando fomentamos a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.
 

Quando eliminamos seis milhões de judeus, em nome de uma inexistente superioridade ariana.
 

E quando empreendemos as cruzadas, levando a morte àqueles que qualificávamos como infiéis.
 

E durante a Inquisição de tanta barbárie.
 

E todos os dias, onde está Deus?
 

Onde está Deus quando enganamos nosso irmão? Quando mentimos para conseguir favores que desejamos?
 

Quando desonramos o lar, com o adultério? Quando eliminamos a vida no ventre materno, porque não desejamos o ser em gestação?
 

Onde está Deus quando deixamos nossos filhos à matroca, sem orientação, porque preferimos a acomodação?
 

Onde está Deus quando, utilizando o poder que o mundo nos confere, ferimos pessoas, destruímos a honra de outras vidas?
 

Onde está Deus quando levantamos as bandeiras da pena de morte ao nosso irmão? Ou da eutanásia?
 

Para todas as perguntas, a resposta é a mesma: Deus está dentro de nós, dentro de cada criatura.
 

Soberanamente sábio, criou-nos a todos iguais, partindo de um mesmo ponto de simplicidade e ignorância.
 

Criou os mundos para que neles trabalhássemos, utilizássemos nossas forças e crescêssemos em intelecto e moral.
 

A ninguém concedeu privilégios. A todos concedeu o livre-arbítrio, com a consequente Lei de Causa e Efeito.
 

Estabeleceu que a cada um será dado conforme as suas obras e que todos deverão chegar ao mesmo destino, não importa quanto demore: a perfeição.
 

Ele nos permite a livre semeadura, mas estabelece que a colheita seja obrigatória.
 

Por isso, uns semeiam ventos e colhem tempestades. Outros lançam ao solo as sementes da bondade, do bem e alcançam felicidade.
 

Uns estão semeando hoje. Outros tantos estão realizando a colheita das bênçãos ou das desgraças que se permitiram semear.
 

Conhecedor das fragilidades de Seus filhos, aguarda que cada um desperte, a seu tempo, cansado das dores que para si mesmo conseguiu.
 

Portanto, não indague onde está Deus, quando você contemple a injustiça. Trabalhe pela justiça.
 

Não pergunte onde está Deus, quando observe a violência. Semeie a paz.
 

Não questione onde está Deus quando a miséria campeia. Utilize seus recursos para semear riquezas.
 

Enfim, onde quer que você esteja, lembre que Deus está em você e com você. E espera que você seja o Seu mensageiro de bênçãos, onde se encontre.
 

Pense nisso. Pense agora e comece a demonstrar ao mundo o Deus que existe em sua intimidade.
 

Autor:
Redação do Momento Espírita.

5 comentários :

  • Maria Helena says:
    9 de abril de 2012 22:11

    Olá! Não há como ler um texto tão profundo e não entrar numa profunda reflexão. É um assunto pertinente e que está na pauta de cada dia. Cada um indaga conforme a fé ou a desesperança. O que importa realmente é fazer do mundo um lugar melhor. Adorei o texto!

  • Aleatoriamente says:
    9 de abril de 2012 22:48

    Sabe Lu? Gosto dessa profundidade na poesia.
    É maneira de se entender, a profundidade do sentimento em sua melhor fusão.

    Um beijo meu amigo.

  • Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz says:
    10 de abril de 2012 08:51

    A desesperança na vida é algo q não podemos alimentar ... custe o q custar ... Belíssimo querido Lu! Obrigado pelo carinho de sempre ...

    bjão

  • Anne Lieri says:
    11 de abril de 2012 12:12

    Lu, é bom sentir a presença de Deus em nós!Eu nunca fiquei perguntando onde está Deus, pois creio que Ele está dentro de nós!Linda demais a sua postagem de hoje!bjs e meu carinho!

  • Pelos caminhos da vida. says:
    11 de abril de 2012 13:03

    Excelente texto...

    Boa tarde Lu.

    beijooo.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.