Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

25 de julho de 2012

Esse dia é dedicado aos escritores

Imagem do Google

25 de julho

Alguns Escritores Brasileiros
Graciliano Ramos (1892-1953)
Ficção brasileira, poesia, e conta de drama para aproximadamente meio a produção literária da América Latina, calculou pelo número de títulos de indivíduo reserva.
O desenvolvimento literário no Brasil segue os períodos históricos principais do país basicamente - o Período Colonial, de 1500 até independência em 1822, caracterizou-se principalmente através de escritas no Barroco e do Arcadismo, além do Período Nacional desde 1822. Podem ser unidos movimentos literários importantes durante o Período Nacional ao desenvolvimento político e social do país: O Movimento Romântico em literatura coincidida basicamente com os 57 anos do Império; os Parnassianos e os Realistas floresceram durante as décadas iniciais da República, seguiu, ao redor da volta do século, pelo Symbolimo. No 20º século, a ascendência do Movimento Vanguardista ou do Modernista, com idéias de um esteticismo vanguardista, era célebre durante a Semana de Arte Moderna de São Paulo famosa em 1922.
Este movimento influenciou profundamente não só a literatura brasileira, mas também sua pintura, escultura, música, e arquitetura.
Muitos dos escritores notáveis do Período Colonial eram Jesuítas que foram hipnotizados pela terra nova e seus habitantes nativos. Entre o luminares deste período o Padre José seja de Anchieta (1534-1597), um poeta dedicou ao evangelização dos índios, e de Gregório Matos (1623-1696), que criou uma nova vertente de poesia composta de lirismo e misticismo mas é melhor conhecido por sua veia satírica , e o famoso pregador Padre Antônio Vieira (1608-1697). Os Árcades, Cláudio Manuel da Costa (1729-1789), Basílio da Gama (1740-1795), e Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810), escreveram poemas líricos e poemas épicos e também eram conhecidos pelo envolvimento de suas idéias no movimento de liberação chamado " Conspiração " de Minas (" Conjuração Mineira ").
A transferência, em 1808, da família real portuguesa para o Brasil trouxe com isto o espírito do Movimento Romântico europeu incipiente. Escritores brasileiros começaram a enfatizar liberdade individual, o subjectivismo, e uma preocupação com os assuntos sociais. Seguinte a independência de Brasil de Portugal, literatura Romântica se expandiu para exaltar a singularidade das regiões trópicais do Brasil e seus índios, os escravos africanos, e para descrições de atividades urbanas. Algumas das figuras literárias o mais famosas do Período Romântico eram os poetas, como Castro Alves (1847-1871) que escreveu sobre os escravos africanos e Gonçalves Dias (1823-1864) que escreveu sobre índios.
Manuel Antônio de Almeida (1831-1861) é creditado como o iniciador da literatura picaresca no Brasil. José de Alencar (1829-1877) escreveu vários romances populares inclusive Iracema sobre índios, O Guarani, um romance histórico, e romances em negócios regionais, sociais, e urbanos. Entre os novelistas do Período Romântico ainda é lido amplamente no Brasil hoje: Joaquim de de Manuel o Macedo (1820-1882), que escreveu A Moreninha, uma história popular, e Alfredo d'Escragnolle Taunay (1843-1899), o autor de Inocência.
O Parnasianismo na poesia era, no Brasil como na França, uma reação para com os excessos do Romantismo. A Tríade " de Parnasianos denominada " de poetas brasileiros - Olavo Bilac (1865-1918), Raimundo Corrêa (1860-1911), e Alberto de Oliveira (1859-1937) - escreveu poesia refinada na qual a personalidade do poeta se interessa por assuntos sociais foram obliterados ou olvidados.
Machado de Assis (1839-1908), amplamente aclamado como o maior escritor brasileiro do 19º século e além, era sem igual por causa da universalidade de seus romances e composições. Hoje, Machado de o Assis permanece um dos escritores mais importantes e influentes de ficção no Brasil. Os trabalhos dele cercaram o estilo Romântico e Realismo como exemplificou na Europa por Emile Zola e o novelista português, Eça de Queiroz.
A prosa de Euclides da Cunha (1866-1909), enfatizou uma literatura brasileira que retrata realidades sociais. O trabalho mais famoso dele, Os Sertões (Rebelião no Backlands), sobre uma revolta no nordeste conduzido por um religioso fanático, foi publicado em 1902. À volta do século a imaginação literária brasileira foi puxada a Simbolismo, representou por poetas Cruz e Souza (1861-1893) e Alphonsus de Guimarães (1870-1921). O Symbolista está interessado em misticismo e metáfora usando alegorias para expressar suas idéias.

Começando no 20º século, um estado inovador de mente saturou os artistas brasileiros e culminou na celebração da Semana de Arte Moderna no São Paulo. Este modo novo de pensamento propulsou uma revolução artística que atraiu a sentimentos de orgulho para folclore nacional, história, e ascendência. Participantes na Semana de Arte Moderna recorreram a experiências por escrito e em belas-artes conhecidas em outro lugar como Futurismo, Cubismo, Dadaismo e Surrealismo.
O poeta Menotti del Pichia resumiu os propósitos do movimento artístico novo com estas palavras: " Nós queremos luz, areje, ventiladores, aviões, as demandas de trabalhadores, idealismo, motores, que chaminés de fábrica, sangue, fazem andar depressa, sonham em nossa Arte ".
O líder mais importante da fase literária deste movimento era Mário de Andrade (1893-1945) que escreveu poesia, composições em literatura, arte, música, e folclore brasileiro, e Macunaíma que ele chamou " uma rapsódia, não um romance ". Oswald de Andrade (1890-1953) escreveu uma coleção de poemas que intitulou Pau-Brasil (Brazilwood) que avaliou cultura brasileira, superstições, e vida familiar em idioma simples, economicamente, e, pela primeira vez em poesia brasileira, com humor.
A transição para uma aproximação literária mais espontânea é representada por poetas como Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), cuja ironia era usada para dissecar as alfândegas do tempo, e Manuel Bandeira (1886-1968), que construiu associações de idioma ao redor de provérbios e expressões populares. Bandeira quis ser o último poeta " dele para ser eterno e diz o mais simples e menos coisas " intencional. O romance brasileiro moderno assumiu uma forma nova e um conteúdo social depois de José Américo de Almeida (1887-1969), que escreveu A Bagaceira, uma história pioneira sobre as condições severas de vida no nordeste. Ele foi seguido por Jorge Amado (1902 -), Graciliano Ramos (1892-1953), José Linsdo Rego (1901-1957), e de de Rachel Queiroz (1910 -), tudo notaram para o poder de suas imagens evocando os problemas e sofrimentos de vida na região nordeste onde eles nasceram.
Os primeiros romances de Jorge Amado, traduzidos em 33 idiomas, foram influenciados pesadamente pela sua convicção em idéias Marxistas e se concentraram nos sofrimentos de trabalhadores nas plantações de cacau em sua fazenda na Bahia e em pescadores humildes em aldeias de litoral. Nos 1950's ele optou para uma aproximação mais jovial às alegrias e duelos das classes médias de Bahia e produziu uma sucessão de livros que receberam aclamação mundial. Gabriela, Cravo e Canela é talvez os melhor conhecidos dos livros de Amado.
Dona Flor seus Dois Maridos proveu as escrituras para filmes, jogos, e televisão. Arguably o escritor brasileiro mais inovador de seu século era João Guimarães Rosa (1908-1967). Diplomata de carreira, ele capturou a atenção do público e críticos primeiro semelhante com um volume de histórias pequenas, Sagarana, logo seguido pelo melhor trabalho conhecido dele Grande Sertão,: Veredas. Cavando profundamente em mannerismos de fala da região de interior do litoral oriental, a Guimarães Rosa começou algo como uma revolução semântica. Ele ousou apresentar a seus leitores palavras com combinações cunhadas e sintaxe tão desenfreada que constituia quase um idioma novo.
Há muitos outros escritores de brasileiro notáveis. Gilberto Freyre (1900-1987), mestre de estilo e um pioneiro da escola nova de sociólogos brasileiros, é o autor de Casa Grande & Senzala, um estudo perceptivo de sociedade brasileira.
Um dos melhores poetas de brasileiro conhecidos é João de de Cabral Melo Neto (1918 -). a poesia dele é sóbria e ele usa palavras com a precisão com que um engenheiro usaria os materiais do edifício que está construindo. Menção especial deve ser feita de Vinícius de o Moraes (1913-1980). A sua poesia se tornou parte e pacote da bossa nova, movimento musical que produziu um estilo novo de samba de ritmo tipicamente brasileiro. Vinícius (como ele é conhecido mundialmente) também escreveu um jogo, Orfeu da Conceição que ficou internacionalmente famoso como o filme Orpheus Preto.
Entre o viver ou os novelistas recentemente falecidos, menção deveria ser feita de: Orígenes Lessa, Adonias Filho, Érico Veríssimo, Dinah Silveira de Queiroz, Lygia Fagundes Telles, Herberto Sales, Rubem Fonseca, Clarice Lispector, Dalton Trevisan, Nélida Pinõn, Osman Lins, e Moacir Scliar; e entre os poetas: Raul Bopp, Murilo Mendes, Augusto Frederico Schmidt, Mário Quintana, Cassiano Ricardo, o Jorge de Lima, Ferreira Gullar, Cecília Meireles, Augusto de Campos e Haroldo de Campos.
Fonte: www.culturabrasil.org


Neste dia também se comemora o dia do Colono, dia do Motorista e do Produtor Rural.
Parabéns a todos.

2 comentários :

  • Anne Lieri says:
    25 de julho de 2012 11:33

    Lu,me lembrei de minhas aulas de literatura!Tinha um professor que entrava em sala declamando Gregorio de Matos!Era um louco,mas adorávamos!Muito legal o seu artigo e penso no quanto ainda preciso ler!Será que vai dar tempo nessa vida?...rss...bjs,

  • blog da Paraguassu says:
    25 de julho de 2012 18:03

    Olá Lu,
    Grande postagem!
    Adoro reviver a leitura e os estudos que contam-nos a vida e a arte do Brasil dos velhos tempos, desde a época da descoberta, da colonização e das influências literário-artísticas que nos fizeram crescer e emoldurar um país para a arte em suas variadas facetas.
    Grande beijo, amigo.
    Maria Paraguassu.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.