Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

15 de setembro de 2012

2020: ANO DO EXTERMÍNIO DOS PROFESSORES

Uzaremos a mesma imagem que foi publicada no Blog da Maria Tereza que é da sua autoria.
Imagem de Maria Tereza Marçal Cardoso

Por solicitação estamos publicando essa matéria, ela foi publicada no blog da nossa amiga Maria Tereza em 09 de setembro de 2012 veja aqui e dê sua opinião.


O ano é 2020 D.C. - ou seja, daqui a nove anos - e uma conversa entre avô e neto tem início a partir da seguinte interpelação: 

- Vovô, por que o mundo está acabando? 

A calma da pergunta revela a inocência da alma infante. E no mesmo tom vem a resposta: 

- Porque não existem mais PROFESSORES, meu anjo. 

- Professores? Mas o que é isso? O que fazia um professor? 

O velho responde, então, que professores eram homens e mulheres elegantes e dedicados, que se expressavam sempre de maneira muito culta e que, muitos anos atrás, transmitiam conhecimentos e ensinavam as pessoas a ler, falar, escrever, se comportar, localizar-se no mundo e na história, entre muitas outras coisas. Principalmente, ensinavam as pessoas a pensar.

- Eles ensinavam tudo isso? Mas eles eram sábios? 

- Sim, ensinavam, mas não eram todos sábios. Apenas alguns, os grandes professores, que ensinavam outros professores, e eram amados pelos alunos. 

- E como foi que eles desapareceram, vovô? 

- Ah, foi tudo parte de um plano secreto e genial, que foi executado aos poucos por alguns vilões da sociedade. O vovô não se lembra direito do que veio primeiro, mas sem dúvida, os políticos ajudaram muito. Eles acabaram com todas as formas de avaliação dos alunos, apenas para mostrar estatísticas de aprovação. Assim, sabendo ou não sabendo alguma coisa, os alunos eram aprovados. Isso liquidou o estímulo para o estudo e apenas os alunos mais interessados conseguiam aprender alguma coisa. 

Depois, muitas famílias estimularam a falta de respeito pelos professores, que passaram a ser vistos como empregados de seus filhos. Estes foram ensinados a dizer "eu estou pagando e você tem que me ensinar", ou "para que estudar se meu pai não estudou e ganha muito mais do que você" ou ainda "meu pai me dá mais de mesada do que você ganha". Isso quando não iam os próprios pais gritar com os professores nas escolas. Para isso muito ajudou a multiplicação de escolas particulares, as quais, mais interessadas nas mensalidades que na qualidade do ensino, quando recebiam reclamações dos pais, pressionavam os professores, dizendo que eles não estavam conseguindo "gerenciar a relação com o aluno". O professores eram vítimas da violência - física, verbal e moral - que lhes era destinada por pobres e ricos. Viraram saco de pancadas de todo mundo.

Além disso, qualquer proposta de ensino sério e inovador sempre esbarrava na obsessão dos pais com a aprovação do filho no vestibular, para qualquer faculdade que fosse. "Ah, eu quero saber se isso que vocês estão ensinando vai fazer meu filho passar no vestibular", diziam os pais nas reuniões com as escolas. E assim, praticamente todo o ensino foi orientado para os alunos passarem no vestibular. Lá se foi toda a aprendizagem de conceitos, as discussões de idéias, tudo, enfim, virou decoração de fórmulas. Com a Internet, os trabalhos escolares e as fórmulas ficaram acessíveis a todos, e nunca mais ninguém precisou ir à escola para estudar a sério.

Em seguida, os professores foram desmoralizados. Seus salários foram gradativamente sendo esquecidos e ninguém mais queria se dedicar à profissão. Quando alguém criticava a qualidade do ensino, sempre vinha algum tonto dizer que a culpa era do professor. As pessoas também se tornaram descrentes da educação, pois viam que as pessoas "bem sucedidas" eram políticos e empresários que os financiavam, modelos, jogadores de futebol, artistas de novelas da televisão - enfim, pessoas sem nenhuma formação ou contribuição real para a sociedade.


ATENÇÃO: Qualquer semelhança com a situação deste País ultrajado e saqueado por políticos quadrilheiros e mafiosos, não é mera coincidência.

Acordar em pleno domingo, dia nacional da descrença dos professores da escola pública deste país e encontrar um e-mail da minha querida colega, professora e exímia desenhista, Viviane Carneiro, realmente me enche de pique. 
Pique pra enfrentar a maratona dominical de xerocar materiais para meus alunos do ensino fundamental (aluguei uma máquina de xerox para reproduzir meu material à vontade, sem miséria. 
São quase 100,00 mensais que pago para ter este conforto e estrutura para minhas aulas. A escola oferece apenas 3 cópias por semana, muito pouco para ensinar Português, História, Matemática, Geografia, Ciências, Filosofia, Música). 

Essa é da nossa amiga Maria Tereza Maçal Cardoso

Este email da Vivi mata a pau, vamos ler:

7 comentários :

  • José María Souza Costa says:
    15 de setembro de 2012 09:27

    Professores
    de: José Maria Souza Costa

    Quando o reluzir das letras,explodem com o saber,
    E o brilhar dos olhares emboscados, a lapijar fatal.
    Esse amante dos rabiscos se envaidece, só em querer
    Ensinar: a ler e escrever, soletrando contando magistral.

    E em voz rouca, ante a multidão de sonhadores,
    Com uma lápide de giz, e a velha bata decantada,
    Expõe no quadro negro, tal redatores, os seus sabores
    De um mundo mágico em sabedorias, idem revelada.

    Amado-amante, de uma escrita singular, e profitente,
    Desbravador motivacional, em páginas de desejos íntimos
    Borrados, pela leniência de um servir a tantos, contente.

    Pluralista em pensamentos, quão afável, um desmitificador.
    Por eles passam os nossos filhos, e a alegria como esperança
    De um caminhar brilhante, retratado na magia de um professor.

  • Tunin says:
    16 de setembro de 2012 16:16

    É o retrato do que vivenciamos na escola de hoje.A professora teve a grande felicidade de passar para o papel a real deseducação porque passam as escolas deste país das "pizzas".
    Falar em avaliação é expor o aluno. Pode?!
    A média escolar na educação pública baiana, virou somatório. Se se fizer cinco atividades olhando no livro e cada atividade valer 1 ponto, o aluno é aprovado, pois a tal da "média" é cinco.
    Resultado: a analfabetismo está imperando nas escolas.
    As faculdades estão cheias de estudantes que mal sabem garranchar a escrita.
    Eles, eles (aqueles) querem assim.É mais fácil para manipular.
    Dá-lhe Brasil!!!!
    Abração.

  • Este comentário foi removido pelo autor.
    Marcos Mariano says:
    16 de setembro de 2012 18:49

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Marcos Mariano says:
    16 de setembro de 2012 18:54

    Olá Lu, é realmente revoltante o caminho que tem tomado a educação nesse país, a pouco tempo, fui prestar um vestibular numa faculdade particular, e fiquei espantado ao saber que a prova seria apenas um redação abordando algum assunto atual, que vestibular é esse? Pensei. Ficou claro que eles querem mais é que todos passem e de qualquer jeito. E o Enem? Que quase que todo ano tem que ser refeito por causa de algum erro ou fraude.

    Já estudei em escola publica e posso dizer que é tudo a moda bangu, os alunos não respeitam os professores e os professores morrem de medo dos alunos, e o ensino, a aprendizagem, nem eu sei onde fica.

    Os professores passam uma penca de trabalhos valendo notas para somar com anota dos alunos, o que acaba ajudando o aluno que vai mal a passar de ano sem ter aprendido nada, só passou por causa das notas dos trabalhos.

    É ridículo nosso sistema de ensino, achei muito inteligente a forma como foi colocada nesse post a situação dos professores nesse país, eu compartilho da mesma indignação.

    Abraços

  • Iza says:
    17 de setembro de 2012 09:14

    Ai meu Deus! Serei exterminada em 2020!

    Brincadeiras a parte. Gostei da forma como a autora traduz nossa realidade.

    Beijos Lu. Uma semana linda para ti e tua família!

  • Junior Menezes says:
    19 de setembro de 2012 22:52

    Olá! Muito obrigado pela sua visita em meu blog e por incentivar o meu trabalho! Fique a vontade para voltar sempre que eu ficarei muito feliz!!! Realmente, o RN apesar de ser um estado pobre é rico em belezas naturais e na hospitalidade dos potiguares!!! Mas, na verdade, o Brasil inteiro é lindo... Uma obra dos deuses!!! Um grande abraço e parabéns pelo seu blog sensacional!!!

  • Geyme Lechner Mannes says:
    20 de setembro de 2012 13:32

    Oi Lu!!
    Embora o tema seja sério e lamente pela educação capenga em nosso querido país, confesso que gostei de ver a foto da Te, logo aí em cima, haha Ela é louca de pedra, mas está sempre coberta de razão!!!!!!
    A situação de professores e escolas públicas precisam urgentemente serem revistos , valorizados, apoiados, e o governo já está atrasado faz anos para abrir os olhos e tomar de vez alguma atitude séria e efetiva quanto a isso... Para ser professor no Brasil há que ter muito amor, pois do contrário (e ainda sim) é triste demais!!!

    Legal vc tê-la trazido até aqui, Lu!!

    beijo, amigo!!!

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.