Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

10 de dezembro de 2012

Dia 10 de dezembro, hoje tem marmelada?



10 de Dezembro

A História do Palhaço
Traçar a história do palhaço é contar como o circo nasceu, a arte de espetáculo e entretenimento mais antiga que existe no mundo.
A data de seu surgimento ninguém sabe ao certo, mas seus fundadores foram os povos nômades.
Pesquisas feitas com pinturas de cerca de 5.000 anos na China, mostram algumas figuras de acrobatas e equilibristas.
A partir dessa descoberta, surge a hipótese de que o circo tenha nascido em terras chinesas. Outra evidência disso é que na época, os guerreiros utilizavam a acrobacia como forma de treinamento para dar mais agilidade e força durante as guerras.

Já o palhaço vem da antiga função que tinha o bobo da corte de fazer o Rei se divertir. O bobo da corte surgiu há mais de 2.500 anos antes de Cristo e de acordo com o Ministério dos palhaços foi durante a Dinastia do Faraó Dadkeri-Assi que o bobo da corte começou suas primeiras atividades como profissão.
A Comédia Del Arte, que surgiu na Europa na Itália no século XVI, acabou por utilizar o modelo do bobo da corte, para criar seus espetáculos.
Máscaras divertidas e diferentes, roupas largas e sapatos engraçados foram as características mais marcantes das comédias produzidas por esses grupos de teatro.
Além das típicas piadas criadas para divertir o público, com uma pitada de sarcasmo e até romantismo.
A fusão entre o bobo da corte, os atores da Comédia Del Arte e o Circo, acabou dando origem ao palhaço que conhecemos hoje. Sua história é um misto de criatividade, evolução e mudanças.


O ditado "Rir é o melhor remédio" é hoje considerado verdadeiro pelos cientistas, que afirmam com seriedade que o riso traz benefícios ao ser humano.

Em todos os tempos, a pessoa que provocava o riso na população teve destaque na história.
Na Idade Média, o rei e sua corte divertiam-se com o bobo, figura indispensável nas festas. O bobo da corte usava roupas de cores berrantes e um chapéu colorido, cheio de pontas e de guizos. À guiza de cetro, segurava uma vara também cheia de guizos.
Ele a brandia contra aqueles que dele riam e zombava de todos com suas momices, dizendo verdade que ninguém tinha coragem de expressar. Adorado pelo povo e respeitado pelos fidalgos e pelo rei, o bobo da corte tinha livre trânsito em todos os lugares. Era sempre o centro das atenções ao dar saltos, contar anedotas, cantar ou declamar versos de grandes autores.
O palhaço moderno, uma versão do bobo da corte da Idade Média, surgiu na Inglaterra no século XVIII. Para alguns pesquisadores, ele surgiu das brincadeiras zombeteiras feitas sobre os camponeses ingleses, que iam à cidade com roupas muito coloridas.
Para outros, um dos primeiros palhaços talvez tenha sido um bêbado de nariz avermelhado e roupas largas, que trabalhava num circo dirigido por um oficial inglês da Cavalaria Britânica. Deu tantos tropeções, que atraiu a atenção do público e do dono do circo, que o contratou para as apresentações.

Ser palhaço exige técnica: a técnica de fazer rir, pois o palhaço é a alegria personificada. Por isso, os palhaços se vestem de forma excêntrica: calças largas, sapatos enormes, chapéus grotescos, cabeleiras coloridas, camisa ou paletó extravagante, mas com um detalhe imprescindível: o nariz vermelho.

No Brasil, a terapia do riso tem nomes famosos como os dos queridos e inesquecíveis palhaços PiolinArreliaCarequinhaFuzarca,PimentinhaTorresmoPururucaPicolino, entre outros.

Os bordões "Como vai? Como vai? Como vai? Como vai? Como vai, vai, vai?", "Eu vou bem, eu vou bem, eu vou bem! Muito bem, muito bem, bem, bem!", de Arrelia, e "Tá certo ou não tá?", de Carequinha, sempre estarão presentes na lembrança de todos aqueles que se divertiram com as pantomimas desses dois maravilhosos palhaços que fizeram sucesso nos circos e na TV do Brasil.

Hoje, há escolas que ensinam a técnica de fazer rir - como o Circo-escola Picadeiro, fundado pelo palhaço Picolino , bem como legislação que dispõe sobre a profissão de palhaço (lei no 6.533, de 24/5/78, e decreto 82.385, de 5/10/1978, assinados pelo presidente Ernesto Geisel).
Fonte:  Wikipédia ,www.fca.pucminas.br  ,  www.paulinas.org
Neste dia também se comemora o dia do, Aniversário do Município de LondrinaDia Internacional dos Direitos Humanos - Adotado pela Assembléia Geral da ONU, no catolicismo: Dia do TLCista (Treinamento de Liderança Cristã) Movimento Católico, Dia de Santa Eulália de Mérida




8 comentários :

  • Donetzka Cercck Lavrak Alvarez says:
    10 de dezembro de 2012 01:33

    Muito bom seu post,Lu!

    E verdadeiro!

    Hoje mesmo fui a um circo,por coincidência!

    E me diverti,ri,aplaudi,vibrei como uma criança!

    Fiquei feliz demais!


    Nem todos vão ao circo.


    Mas não sabem o que perdem.


    Que ótimo saber da história dele.

    Como seu blog está em meus favoritos,recebo tudo!


    Ótima semana,amigo!

    Beijos

    Donetzka

  • Wanderley Elian Lima says:
    10 de dezembro de 2012 06:04

    Oi Lu
    Acredito que o circo faz pate da vida de todos nós, e foi muito bom conhecer a sua história.
    Abração

  • Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz says:
    10 de dezembro de 2012 08:47

    Com certeza Lu! Palhaços povoaram e povoam a vida de todos nós ... Saudades do palhaço Moleza ... Foi um ícone de minha infância ... Bjão

  • nandarilha says:
    10 de dezembro de 2012 12:09

    Hoje estava vendo algumas piadas no Facebook e não entendendo bem, até que li que era o Dia do Palhaço, hehehehe! Gostei do post com curiosidades e fatos históricos, bem interessante!

  • Tania regina Contreiras says:
    10 de dezembro de 2012 16:11

    Sonho que nunca realizei (realizarei um dia?): vestir-me de palhaço. Tenho a alma de palhaço, que esconde tristezas por debaixo da maquiagem.
    Beijos,

  • Este comentário foi removido pelo autor.
    Lu Cidreira says:
    10 de dezembro de 2012 16:32

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Aleatoriamente says:
    10 de dezembro de 2012 17:29

    Olá Lu, como você está? Sabia que sou um pouco palhaçinha?Risos...
    Gostei do texto e viva o dia deles e nossos, porque de alguma maneira somos brincalhoes como eles né? Beijão querido.

  • Marcos Mariano says:
    12 de dezembro de 2012 19:53

    Lu, eu achei esse post muito propício para os dias de hoje onde os palhaços estão em alta, não fazia ideia do quão antiga era essa profissão, seu artigo foi bastante esclarecedor.

    abraços

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.