Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

8 de janeiro de 2013

Homenagem aos que tem como hábito a fotografia

Foto: Luiz Cidreira arquivo particular

08 de Janeiro

Comemora-se o dia 08 de Janeiro como o Dia Nacional da fotografia ou Dia Nacional do Fotógrafo. Mas há controvérsias...
Calendários registram 6, 7, 8 e até 9 de Janeiro como dia do fotógrafo, dia da fotografia, dia nacional do fotógrafo e dia nacional da fotografia.


Por volta de 1554, Leonardo Da Vinci descobriu o princípio da câmera escura. Segundo este princípio, a luz refletida por um objeto projeta fielmente sua imagem no interior de uma câmera escura, que contenha um orifício para a entrada dos raios luminosos.
Fazendo uso deste princípio, muitos artistas simplificavam o trabalho de copiar objetos e cenas, utilizando câmeras dos mais diversos formatos e tamanhos. Ficavam dentro da própria câmera e pintavam a imagem refletida em uma tela ou pergaminho preso na parede oposta ao orifício da caixa.
Já o princípio da fotossensibilidade  que permite a gravação de imagens fixas e duradouras e que se baseia no fato de alguns compostos químicos serem alterados quando expostos à luz visível, era conhecido desde a antiguidade, em alguns dos seus aspectos, como a descoloração de certas substâncias por efeito da luz solar. 
Para o processo se tornar mais automático, faltava descobrir ainda um material sensível à ação da luz que pudesse substituir o pergaminho e registrar automaticamente uma imagem ao ser atingido pela luz refletida de um objeto.
Em 1816 o químico francês Nephòre Nièpce deu os primeiros passos para resolver o problema, conseguindo registrar imagens em um material recoberto com cloreto de prata. Mais tarde, em 1826, ele associou-se ao pintor Daguerre, e ambos desenvolveram uma chapa de prata que, tratada com vapor de iodo, criava uma camada superficial de iodeto de prata, substância capaz de mudar de cor quando submetida à luz.
A experiência foi o primeiro passo prático para a fotografia em toda a Europa, possibilitando combinar a chapa foto-sensível (filme) e a câmera escura (máquina fotográfica). A Partir daí, o aperfeiçoamento da técnica fotográfica teve muitas colaborações.
Em 1860 surgiram os primeiros estúdios fotográficos. Na época, para tirar uma foto, a pessoa deveria ficar imóvel cerca de dois minutos e precisava até ser presa a um dispositivo, para não tremer. O fotógrafo era ainda um verdadeiro artesão no processamento químico e nos retoques indispensáveis.
Não tardaram a aparecer também os fotógrafos ambulantes que, como pioneiros, correram o mundo divulgando a nova arte, transportando complicados laboratórios e equipamentos em carroças.
Em 1867, o físico francês Louis Ducos anunciou outra novidade; a fotografia colorida. Treze anos mais tarde, por iniciativa do norte-americano George Eastman, a fotografia começou a se popularizar e o filme passou a ser embalado em rolos.
Com máquinas menores e mais fáceis de usar, hoje a fotografia é objeto comum de todos. Recentemente surgiu também a fotografia digital, que também já começa a se popularizar.

Em um mundo completamente imagético como é o nosso hoje, a fotografia está presente em todos os momentos. Seja de câmeras comuns, digitais, de celulares, a imagem se tornou um elemento central nesse mundo midiatizado.

Mas se hoje a fotografia tem esse lugar de destaque, podendo ser alterada, transformada e manipulada, muito se deve aos inventores deste conceito. 
Dois franceses merecem destaque nessa descoberta: Joseph Nicéphore Niépce e Jean Jacques Mandé Daguerre. Niépce foi o precursor, unindo elementos da química e da física, criou a héliographie em 1826. Nesse invento ele aliou o princípio da “câmara obscura”, empregada pelos artistas desde o século XVI, à característica fotossensível dos sais de prata. Após a morte de Niépce, Daguerre aperfeiçoou o invento, rebatizando-o como daguerreótipo.
Aplausos.. Parabéns

Parabéns a todos os fotógrafos que militam em nosso país, esse é um direcionamento do blog do Lu cidreira em homenagem ao dia Nacional da Fotografia.

Postagem programada para os dias de férias.

4 comentários :

  • Donetzka Cercck Lavrak Alvarez says:
    8 de janeiro de 2013 10:38

    Muito bom,Lu!

    Amo fotografar!

    No meu blog postei umas fotos maravilhosas.Pura arte!

    Qdo tiver um tempo,dá uma olhada,ok?

    Linda semana!


    Bjs


    Donetzka

  • António Jesus Batalha says:
    9 de janeiro de 2013 10:06

    Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
    Uma foto muito boa.
    Tenho um blog que gostava que o conhecesse e se desejar faça uma visita ao peregrino E Servo
    Que haja paz e saúde no seu lar.
    Sou António Batalha.

  • Maria de Lourdes says:
    4 de julho de 2013 14:55

    Olá Lu! Tambem adoro fotografar, principalmente a natureza, os animais, os pássaros. Grande abraço!

  • sandra mayworm says:
    1 de dezembro de 2016 09:45

    Oi, Lu!
    Nem sei se você vai ver esse comentário rss! To aqui navegando no seu blog e conhecendo melhor, rudo muito dinâmico, que bacana, parabéns! Sempre parabéns aos fotógrafos e apreciadores dessa arte.
    Abraços a você e seus leitores.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.