Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

7 de setembro de 2013

PATRIOTISMO


Estou re-postando este poema, nesta data memorável da nossa Independência, para uma profunda reflexão. Pois temos que ascender nossas lamparinas, para nossas responsabilidades que se aproximam, na escolha dos nossos dirigentes na próxima eleições, com a nossa soberania no voto!
Dedicamos aos nossos amigos e seguidores dos  Blogs Lu Cidreira e Receitas on line do Ivie Cidreira..





Ó Pátria, minha Pátria!
Que os teus filhos fiéis sejam,
Com honrarias e glorias a tudo que almeja,
Respeite o seu irmão em que tu desejas.

Ó Pátria, Amada!
Que generosa e majestosa, consola,
Os que estendem a mão, para os que a fome assola.
E que os responsáveis, deitam e rolam.

Ó Pátria, Amada, idolatrada, Salva! Salve!
Da injustiça, ignorância e miséria!
Da insegurança, que arrasa na busca da luxuria!
Da consistência apodrecida da política, que o povo identifica!

Ó Pátria, minha Pátria!
Dai nos sossego e nos afastas das ervas daninhas.
Trazendo a fé ao teu povo, que antes tinha...
Faz-nos entre outras mil verdades,
Incrustrada na força, da consciente liberdade!

És tu, Brasil, Ó Pátria amada!
Que as crianças, pobres e idosos, rejeitam.
Que aos jovens, e maduros, renegas.
Que a justiça tão sonhada, afoga.
E aos poderosos impunes, rogas.

Ó Tão sonhada Pátria minha!
Que paciente ao coração, cala.
Buscando a liberação da gritante fala.
E nem teme e ainda ti adora até a morte!
Pátria Amada, Brasil.
Todos os Direitos Reservados a Rita Cidreira

12 comentários :

  • Prof. Adinalzir says:
    6 de setembro de 2010 21:59

    Um belo e criativo poema que tem tudo a ver com a realidade do nosso país.

    Meus parabéns e um grande abraço!

  • Guará Matos says:
    6 de setembro de 2010 22:22

    É a realidade desse nosso Brasil.
    Show de poema!

    Bj.

  • Wanderley Elian Lima says:
    7 de setembro de 2010 06:49

    Oi Lu
    Uma pátria amada que não ama seus filhos, deixando-os à mercê da sorte.
    Abração

  • Iza says:
    7 de setembro de 2010 17:18

    Oi Rita!

    Adorei o teu poema. Viva a nossa Pátria.

    Adoro vocês!

  • Prof. Adinalzir says:
    7 de setembro de 2010 22:03

    Enquanto você preserva a memória nacional. Eu distribuo um Blog de Ouro para você. Veja lá no Saiba História.

    Abraços, aqui deste Rio de Janeiro com noite chuvosa!

  • Meias de Seda (Suzy) says:
    8 de setembro de 2010 11:50

    Oi, minha flor!
    Ai, fiquei encantada e emocionada com a dedicatória, viu?
    Você é uma pessoa linda e especial.
    Adoro essa família Cidreira, viu!
    O poema é lindo, querida. Parabéns!
    Bjos ;)

  • Denise Guerra says:
    12 de setembro de 2010 08:57

    Olá Rita e Lu, adoro este poema e também fico muito feliz de ser amigo de vcs! nossa pátria tão esculachada merece ter pessoas lindas como vcs que só acrescentam e buscam preservá-la! Estou com vcs! Bjs!

  • Maria de Lourdes says:
    7 de setembro de 2013 10:43

    Adorei o poema! muito bem descrito! Nossa Pátria amada, querida e idolatrada Pátria que amo de paixão, um lugar que tem de tudo para ser feliz. A minha Pátria sofrida, pisoteada e enganada nao tem culpa dos que a querem destruir.
    Grande abraço! Parabens pela poesia!

  • Adriana Paz says:
    7 de setembro de 2013 14:14

    Boa tarde,Lu.

    Obrigada por me seguir também,colocar meu blog na sua lista e me autorizar a publicar um texto daqui.
    Vou escoljher um e assim que postar,avisarei.Terá todos os direitos reservados com o nome do autor e o link do blog para divulgar.

    Esse poema é lindo e para refletirmos mesmo.

    Na data de hoje temos que pensar em quem colocar na direção desse país.

    Parabéns à autora que soube como transmitir esse sentimento de patriotismo.

    Um excelente feriado para vc e família.

    Deus os abençoe.

    Beijos

    Adriana

    Tenho Face Book

  • Adriana Paz says:
    7 de setembro de 2013 15:06

    Lu. O poema O Mundo da Rita já postei no meu blog com os devidos créditos e o link de seu blog.

    Obrigada!

    è só vc ir lá,conferir e mostrar a ela.Agradeça por mim a essa excelente poetisa!

    Fiquem em paz e Deus os abençoe


    Adriana (Dryka)

    Tenho Face Book Como Adriana Paz

  • Helder Gonçalves says:
    8 de setembro de 2013 08:31

    As minhas felicitações neste dia da Independencia - desse maravilhoso país de que, também, me orgulho de ser vosso irmão. Um fraternal abraço
    do
    Hélder Gonçalves

  • Anne Lieri says:
    8 de setembro de 2013 16:52

    Rita,parabéns pela comovente poesia de amor á Patria!Precisamos resgatar esse sentimento!bjs e boa semana!

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.