Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

23 de outubro de 2013

Patricídio

Imagem: Google

Patricídio
Por: Inocêncio Nóbrega
“Que importa para a Pátria que nações superdesenvolvidas procurem, através de técnicas financeiras, entravar-lhe o progresso?”(De H. Nogueira, em meu livro “Independência! No Grito e na Raça”). Citação de 1972, naturalmente não imaginava que quatro décadas depois pudéssemos a ela acrescer: de espionagem. Sob esse clima duas grandes datas, de 5 e 3 de outubro, aos poucos vão sendo abstraídas de nosso calendário cívico. A primeira delas, na realidade justifica a falta de entusiasmo quanto às comemorações neste seu Jubileu de Prata. Considerada a 7 do Brasil, a partir da outorgada por D. Pedro, suspensa em províncias do nordeste, pela Confederação do Equador, que adotou a colombiana. A “Constituição cidadã”, como a denominou o deputado Ulysses Guimarães, está bastante desfigurada, em vista de inúmeras emendas nela aplicadas. Há dispositivos, os quais não foram reformulados pelos congressistas, mas seguem valendo, como se fossem constitucionais, inclusive pelos juristas, nomeados seus guardiões. Refiro-me ao natimorto Art. 82, que trata da sindicalização do trabalhador público, para a qual fui um dos ativistas.
Através da “Voz do Brasil”, o pres. Vargas comunicava ao povo as bases da política petrolífera nacional, estabelecidas na Lei 2.004, oriundas de mensagem de dezembro de 1951. Nascia a Petrobrás! Retrógrados, apoiados pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, logo afloraram, acusando a medida por excesso de nacionalismo, resultante de campanhas de inspiração comunista. Após sua promulgação não tardaram medidas tendentes à quebra do monopólio estatal sobre a exploração, pesquisa e lavra do petróleo. Em 72, decidia a diretoria da empresa consorciar-se às multinacionais do ramo. Posteriormente, o gen. E. Geisel autorizou firmas estrangeiras, mediante contratos de risco, explorarem hidrocarbonetos nas nossas áreas sedimentares. Num simulacro à mexicana PelMex FHC pretendia mudar para PetroMax, encampa o entulho da ditadura e sacramenta a quebra do monopólio, contra o voto de alguns parlamentares, dentre eles quatro deputados: Gilvan Freire, José Aldemir, Luiz Clerot e WiIson Braga. O ministro César Cais, das Minas e Energia, por simples telex determinava condições de exploração por grupos do exterior.
Nesse açodado patricídio, pondo-se como vítima de espiões imperialistas, a pres. Duma torna agir em favor de cartéis internacionais. Leiloam-se petroleiras a fim de gerar superávits primários. É a morte do Brasil em marcha. Os senadores Randolfe Rodrigues, Roberto Requião e Pedro Simon tentam barrar mais esse atentado a nossa soberania, marcado para este mês. Opor-se ao leilão de Libra é a melhor homenagem que se pode prestar ao 602 aniversário da Petrobrás, como se posicionaram os brasileiros de ontem.
Inocêncio Nóbrega
Jornalista

inocnf@gmail.com  

Imagem meramente ilustrativa.

8 comentários :

  • Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz says:
    24 de outubro de 2013 12:07

    Gostei! Justo e digno!

  • Dorli says:
    24 de outubro de 2013 15:56

    Oi Lu
    Boa tarde, estou viva ainda, apesar de ter ficado muito mal.
    Eu não gosto de política, mas sempre acompanhei desde a mais tenra idade e vejo sempre que a maioria do povo se ajoelha ou deixa o tempo passar, apesar de ser um pouco subversiva, mas na atual conjuntura o melhor é guardar minha língua.
    Um beijo
    Lua Singular

  • Felisberto Junior says:
    24 de outubro de 2013 22:53

    Olá!Boa noite
    Lu
    ... desde a quebra do monopólio pelo governo FHC, em 1997, visivelmente a Petrobras foi transformada em uma fachada para a atuação do capital monopolista estrangeiro e acontece que no leilão de Libra, o volume das reservas foi determinado apenas de acordo com os interesses comerciais envolvidos e não há estimativa precisa do quanto o País pode perder com a venda...por isso, não tem como discordar do jornalista, "Opor-se ao leilão de Libra é a melhor homenagem que se pode prestar ao 602 aniversário da Petrobrás, como se posicionaram os brasileiros de ontem"...
    Agradeço pelo carinho!
    Belos dias
    Abraços

  • Olinda Melo says:
    25 de outubro de 2013 07:00


    Caro Lu

    Um texto que não sei comentar por desconhecimento dos factos, mas que é importante para a reflexão.
    É importante trazer assuntos de interesse público onde as pessoas podem manifestar as suas opiniões. E é o que acontece no seu blog.

    Obrigada.

    Abraço

    Olinda

  • Lu Nogfer says:
    25 de outubro de 2013 08:36

    Bom dia Lu!

    Hoje pondo a minha leitura em dia por aqui, vejo que o teu blog esta cada vez mais informativo.Parabens pelas belissimas matérias!
    Nao entendo muito de política não, mas gosto de estar bem informada co m quem entende, pra saber falar na hora exata!

    Beijos e tenha um belissimo dia!
    E grata pela visita e comentarios!

  • José María Souza Costa says:
    25 de outubro de 2013 10:28

    ´Olá, bom dia, Lu Cidreira

    Ufa ! Hoje é sexta feira, logo chego aqui com o meu sentimento de Amizade.
    Meus desejos de alegria, antes de tudo. Que o fim de semana seja um Templo de Sabedoria. De Paz. Que as energias concentrem-se todas, e que possamos na Segunda Feira, brindarmos com um sorriso, o Dom da Vida.
    Um abraço abraçado.

  • Prioridade de Mãe says:
    25 de outubro de 2013 11:38

    Texto Maravilhoso!Gostei! Lu estou retribuindo sua visita. Obrigada pelo carinho. Grande Beijo*

    http://prioridadedemae.blogspot.com.br

  • ONG ALERTA says:
    25 de outubro de 2013 11:48

    Sempre nos deixa bem informados....
    Abraço lisette.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.