Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

10 de dezembro de 2013

Dia Internacional dos Direitos Humanos


Em 10 de dezembro de 1948, a Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) adotou, em Paris (França), a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Com 30 artigos, a Assembléia proclamou o documento “como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universal e efetiva, tanto entre os povos dos próprios Estados-Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.” E, em 1950, a ONU estabeleceu que anualmente, nesta data, seria celebrado o Dia Internacional dos Direitos Humanos.
Paulo César Carbonari, coordenador nacional de Formação do Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), salienta que na próxima segunda-feira, 10 de dezembro, deve ser celebrado o 59° aniversário do reconhecimento, por parte dos Estados, de que os Direitos Humanos são parâmetros fundamentais para a constituição do Estado de Direito. “Mas temos pouco a comemorar, pois os direitos humanos ainda não são efetivos para milhões de pessoas no Brasil e no mundo, vítimas da exclusão, da desigualdade, da pobreza e da opressão nas suas mais diversas faces.”
Para ele, a data é propícia à reflexão, pois permite que seja posta em evidência a contradição: “já caminhamos muito, mas ainda há muito a caminhar para realizar efetivamente os direitos humanos na vida de cada pessoa.” Além disso, mesmo com o fato de o Brasil estar na posição do "último entre os primeiros", conforme o Relatório de Desenvolvimento Humano da ONU, os níveis de desigualdade, tanto de renda quanto de gênero, de raça/etnia, de geração, de regionalidade, e tantos outros, ainda são gritantes. “Enquanto houver um único brasileiro ou brasileira sem um de seus direitos garantido e efetivamente realizado estaremos longe de ser uma sociedade justa”, critica.
Porém, Carbonari considera que apesar de uma longa lista de transgressões aos direitos humanos que ainda marca o Brasil, há conquistas, sobretudo porque hoje já se fala mais em direitos humanos, em diferentes instâncias. “E as poucas conquistas efetivas de direitos são frutos das lutas populares, da organização do povo.”

Documento

Recentemente, o MNDH apresentou ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas o documento Direitos Humanos no Brasil: elementos chave para a compreensão da situação. A contribuição pretende subsidiar o organismo da ONU na produção do Informe Periódico Universal, um novo mecanismo de monitoramento da situação dos direitos humanos no mundo.
Fonte: www.mndh.org.br
Nos dias que se seguem também se comemora:



Dia do Palhaço
10 de Dezembro
Dia do Palhaço
Dia do Arquiteto
11 de Dezembro
Dia do Arquiteto
Dia do Engenheiro
11 de Dezembro
Dia do Engenheiro
Dia do Tango
11 de Dezembro
Dia do Tango

11 comentários :

  • Beth Muniz says:
    10 de dezembro de 2013 09:12

    Bravo!

    "Porém, Carbonari considera que apesar de uma longa lista de transgressões aos direitos humanos que ainda marca o Brasil, há conquistas, sobretudo porque hoje já se fala mais em direitos humanos, em diferentes instâncias. “E as poucas conquistas efetivas de direitos são frutos das lutas populares, da organização do povo".
    *****
    Corretíssima a afirmação.
    Valeu Lu.

  • Dorli says:
    10 de dezembro de 2013 11:15

    Oi Lu,

    Direitos? Que direitos? Onde está o respeito as regras?
    Se a gente reivindica um direito é uma morosidade, um descaso, que por muitas vezes se morre e quem ganha são os filhos e netos.
    Eu conheci muita gente que hoje é milionária e importante quando morava numa metrópole. Por que só eu não fiquei milionária?
    Parando por aqui....
    Beijos de quem não sabe contar só contos de fadas.kkk
    Beijos
    Lua Singular

  • Daniel Costa says:
    10 de dezembro de 2013 17:15

    Luiz, direitos humanos que deveriam ser um fato, por este mundo, eles vêm sendo muito muito vilipendiados.
    Abraços

  • Daniel Costa says:
    10 de dezembro de 2013 17:15

    Luiz, direitos humanos que deveriam ser um fato, por este mundo, eles vêm sendo muito muito vilipendiados.
    Abraços

  • Donetzka Cercck L. Alvarez says:
    11 de dezembro de 2013 15:05

    Só vi esses direitos humanos para marginais,infelizmente.

    Obrigada pela visita,Lu.

    Recebi um email urgente da Dryka dizendo que hoje,dia 11, é o último dia para votar no blog dela e somente até 22 h.

    Pede para que entrem no link abaixo e vote muitas vezes repetindo o número 634 cinco vezes e que peça a amigos que façam o mesmo.

    Ajude-a,o,amigo?

    O link do formulário para votar é:

    https://docs.google.com/forms/d/1VKhzhoKZJh5YOx9-AquDtuD1KqET4TDNRblMPqxPWq0/viewform

    Beijos e linda semana

    Done

  • Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz says:
    12 de dezembro de 2013 11:35

    e como precisamos disto né?

    ps: VOTEI no Blog do Lu ...

  • Dorli says:
    12 de dezembro de 2013 12:06

    Oi Lu,
    Passando para dizer-lhe que tem prêmio dourado no meu blog para você. Venha pegá-lo
    Beijos
    Lua Singular

  • Vera Lúcia says:
    12 de dezembro de 2013 22:42


    Oi Lu,

    A questão dos direitos humanos ainda é bem precária, notadamente no Brasil. Concordo com Carbonari quando assevera que há muito ainda a ser realizado para que tais direitos sejam preservados e respeitados.

    Felizes festas, num clima de união, paz e amor.

    Grata pela companhia no ano de 2013.

    Abraço.

  • Felisberto Junior says:
    16 de dezembro de 2013 18:28

    Olá!Boa noite, Lu!
    ...sim, ainda, infelizmente, vivemos num mundo no qual os direitos humanos são violados, praticamente em todos os níveis, que reside na dignidade de cada pessoa e no respeito que lhe é devido. E cada ser humano possui um valor intrínseco, é um fim em si mesmo e jamais meio para qualquer outra coisa...
    importante, mesmo,que pelo menos haja uma reflexão e que se fale mais em direitos humanos, em diferentes instâncias. E como dito, as poucas conquistas efetivas de direitos são frutos das lutas populares, da organização do povo....cada um fazendo a sua parte...
    bela partilha de conscientização
    sim...vou parar dia 19 , também,por ora, Feliz Natal iluminado e um Ano Novo cheio de esperanças...obrigado pela companhia em 13, e que possamos estar juntos, também, em 14, compartilhamento de amizade, vivências, conhecimentos, carinho e respeito...
    Agradeço, bela semana, abraços!

  • Lu Nogfer says:
    20 de dezembro de 2013 17:59

    Querido, belissimo e reflexivo o teu post, hj porém venho em especial para deixar os meus sinceros votos...
    Que você tenha um natal cheio de harmonia, saúde, paz e amor, com todas as dúvidas eliminadas e as certezas reforçadas para um incrível 2014l! Que as bençãos de Deus sejam derramadas sobre ti incessantemente a trazer-lhe otimas realizações.

    Boas festas e feliz ano novo!!!
    E muito obrigada pelo carinho de sua amizade!

    Um abraço bem apertado!

  • José María Souza Costa says:
    1 de fevereiro de 2014 09:18

    Olá, tudo bem ?

    Vim até cá, para desejar-te um fim de semana muito bom.
    Com muito Sol. Muito calor. E muitas piscinas refrescantes, como as da Cidade de São Paulo. Isto é, para as Cidades, onde o Mar, não oscula as suas orlas.
    Um abraço do
    José Maria Souza Costa.

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.