Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

4 de fevereiro de 2014

A descoberta da penicilina

A Penicilina é um dos agentes antibióticos descobertos e amplamente utilizado primeiros, derivada do fungo Penicillium.
Os antibióticos são substâncias naturais que são libertadas por bactérias e fungos no seu ambiente, como um meio de inibir outros organismos - é guerra química em escala microscópica.
Sir Alexander Fleming
Bacteriologista britânico e prêmio Nobel Sir Alexander Fleming (1881 - 1955) em seu laboratório no Hospital St Mary, Paddington. (1941)

Nascido agosto. 6, 1881, Darvel, Escócia e morreu 11 de março de 1955, em Londres, Inglaterra.
Em 1928, Sir Alexander Fleming observou que colônias da bactéria Staphylococcus aureus pode ser destruído pelo fungo Penicillium notatum, provando que havia um agente antibacteriano não em princípio. Este princípio mais tarde levar a medicamentos que poderiam matar certos tipos de bactérias causadoras de doenças dentro do corpo.
No momento, no entanto, a importância da descoberta de Alexander Fleming não era conhecido.
O uso de penicilina não começou até a década de 1940, quando Howard Florey e Ernst Chain isolado o ingrediente ativo e desenvolveu uma forma de pó do medicamento.

História

Originalmente notado por um estudante de medicina francês, Ernest Duchesne, em 1896. A penicilina foi re-descoberta pelo bacteriologista Alexander Fleming trabalhando no Hospital de St. Mary, em Londres, em 1928.
Ele observou que uma placa de cultura de Staphylococcus tinha sido contaminada por um mofo azul-verde e que as colônias de bactérias adjacentes ao molde estavam sendo dissolvido.
Curioso, Alexander Fleming cresceu o molde em uma cultura pura e descobriu que ele produzia uma substância que matou um número de bactérias causadoras de doenças. Nomeando a substância penicilina, Dr. Fleming, em 1929, publicou os resultados de suas investigações, observando que sua descoberta pode ter valor terapêutico se pudesse ser produzida em quantidade.

Alexander Fleming descobre a penicilina

Em 1928, o bacteriologista Alexander Fleming fez uma descoberta da possibilidade de um já descartado, contaminado placa de Petri. O molde que tinha contaminado a experiência acabou por conter um antibiótico potente, penicilina. No entanto, apesar de Fleming foi creditado com a descoberta, foi mais de uma década antes que alguém virou penicilina na droga milagrosa para o século 20.

Na manhã de setembro, em 1928, Alexander Fleming estava sentado à sua mesa de trabalho no Hospital de Santa Maria, depois de ter acabado de voltar de um período de férias no The Dhoon (sua casa de campo) com sua família. Antes ele havia deixado de férias, Fleming tinha empilhados vários de seus pratos de Petri para o lado do banco para que Stuart R. Craddock poderia usar sua bancada de trabalho, enquanto ele estava fora.
De volta das férias, Fleming foi a triagem através das pilhas autônoma longos para determinar quais poderiam ser recuperadas. Muitos dos pratos tinham sido contaminadas. Fleming colocou cada uma delas em uma pilha crescente em uma bandeja de Lysol.
Muito do trabalho de Fleming focado na busca de uma "droga maravilha". Embora o conceito de bactérias tinha sido em torno desde Antonie van Leeuwenhoek descreveu pela primeira vez em 1683, não foi até o final do século XIX que Louis Pasteur confirmou que as bactérias causado doenças. No entanto, apesar de terem esse conhecimento, ninguém ainda tinha sido capaz de encontrar um produto químico que iria matar as bactérias nocivas, mas também não prejudicam o corpo humano.
Em 1922, Fleming fez uma descoberta importante, lisozima. Ao trabalhar com algumas bactérias, o nariz de Fleming vazou, deixando alguns de muco para o prato. As bactérias desapareceu. Fleming havia descoberto uma substância natural encontrada em lágrimas e muco nasal que ajuda a combater os germes do corpo. Fleming agora percebi a possibilidade de encontrar uma substância que pode matar as bactérias, mas não afetar negativamente o corpo humano.
Em 1928, enquanto a triagem através de sua pilha de pratos, ex-assistente de laboratório de Fleming, D. Merlin Pryce parou para conversar com Fleming.
Fleming aproveitou a oportunidade para queixar da quantidade de trabalho extra que ele tinha que fazer, já que Pryce havia transferido a partir de seu laboratório.
Para demonstrar, Fleming vasculhou a grande pilha de pratos que ele tinha colocado na bandeja Lysol e tirou vários que haviam permanecido com segurança acima do Lysol. Se não houvesse tantos, cada um teria sido submerso em Lysol, matando as bactérias para fazer as placas de seguro para limpar e reutilizar.
Apesar de pegar um prato especial para mostrar Pryce, Fleming notou algo estranho nisso. Embora tivesse sido afastado, um molde tinha crescido no prato. Isso em si não era estranho. No entanto, este molde em particular parece mataram as bactérias Staphylococcus aureus que foram crescendo no prato. Fleming percebeu que este molde tinha potencial.
O que foi que o molde?
Fleming passou várias semanas crescendo mais mofo e tentando determinar a substância em particular no molde que matou as bactérias. Depois de discutir o molde com micólogo (especialista molde) CJ La Touche, que tinha seu escritório abaixo Fleming de, eles determinaram o molde para ser um fungo Penicillium.
Fleming então chamado o agente antibacteriano activo no molde, a penicilina.
Mas de onde veio o molde vem? Muito provavelmente, o molde veio de La Touche quarto andar de baixo. La Touche foi coletar uma grande amostragem de moldes para John Freeman, que estava pesquisando a asma, e é provável que alguns flutuou até o laboratório de Fleming.
Fleming continuou a executar numerosas experiências para determinar o efeito do molde sobre outras bactérias nocivas. Surpreendentemente, o molde de matar um grande número deles. Fleming, em seguida, correu testes adicionais e encontrou o molde a ser não-tóxico.
Poderia ser este o "droga maravilha"? Para Fleming, que não era. Embora viu o seu potencial, Fleming não era um químico e, portanto, não foi capaz de isolar o elemento activo antibacteriano, a penicilina, e não pode manter o elemento activo suficiente para ser utilizado em seres humanos. Em 1929, Fleming escreveu um artigo sobre suas descobertas, que não angariar qualquer interesse científico.
Doze anos depois
Em 1940, o segundo ano da Segunda Guerra Mundial, dois cientistas da Universidade de Oxford estavam pesquisando projetos promissores em bacteriologia que poderia ser melhorado ou continuou com a química. Australiano Howard Florey e Ernst Chain refugiado alemão começou a trabalhar com penicilina. Usando as novas técnicas químicas, eles foram capazes de produzir um pó castanho que manteve a sua potência antibacteriana durante mais do que alguns dias. Eles experimentaram com o pó e achei que fosse seguro.
Precisando da nova droga imediatamente para a frente de guerra, a produção em massa começou rapidamente. A disponibilidade de penicilina durante a Segunda Guerra Mundial, salvou muitas vidas que de outra forma teriam sido perdidos devido a infecções bacterianas em até pequenas feridas. Penicilina também tratada a difteria, gangrena, pneumonia, sífilis e tuberculose.
Reconhecimento
Embora Fleming descobriu a penicilina, levou Florey e Chain para torná-lo um produto utilizável. Embora ambos Fleming e Florey foram nomeado cavaleiro em 1944 e todos os três (Fleming, Florey e Chain) foram agraciados com o Prêmio Nobel de 1945 em Fisiologia ou Medicina, Fleming ainda é creditado pela descoberta da penicilina.

11 comentários :

  • Luma Rosa says:
    4 de fevereiro de 2014 01:47

    Oi, Lu!
    Li certa vez que foi por acidente que a penicilina foi descoberta e tenho a ligeira impressão de que a maioria das descobertas aconteceram por acaso :)
    Boa semana!!
    Beijus,

  • Dorli Silva says:
    4 de fevereiro de 2014 10:53

    Oi Lu,
    Bela descoberta!
    Eu nem lembro se quando criança tinha carteira de vacinação, mas posto de saúde tinha, mas como minha mãe era muito "organizada" sumiu ao "léu".kkk
    As crianças mandam beijinhos
    Mundo dos Inocentes

  • Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz says:
    4 de fevereiro de 2014 10:58

    Uma das maiores conquistas da humanidade com certeza ...

  • Dorli says:
    4 de fevereiro de 2014 11:01

    Oi Lu,
    Como eu já li a postagem no outro blog, quero parabenizá-lo pela importante postagem
    Beijos
    Lua Singular

  • Beth Muniz says:
    4 de fevereiro de 2014 11:45

    Oi Lu,

    E não é que descobri que sou alérgica!

    Quase morro por causa da danadinha...

    Mas, para a humanidade, uma excelente conquista.
    Beijão.

  • Felisberto Junior says:
    4 de fevereiro de 2014 13:07

    Olá, Boa tarde,

    sabia um pouco sobre, e é aquilo,inventores estão sempre pensando além do seu tempo,ainda bem para a humanidade!
    Bela postagem!
    Obrigado pelo carinho,belos dias,abraços!

  • Vera Lúcia says:
    4 de fevereiro de 2014 23:41


    Oi Lu,

    Lembro-me que quando era pequena ouvia meu pai dizer que penicilina curava até defunto.-rs.
    Sem dúvida, uma grande descoberta em prol da humanidade.
    Excelente artigo. Parabéns!

    Abraço.

  • Atena says:
    5 de fevereiro de 2014 17:51

    Foi muito bom relembrar o que já tinha aprendido na escola e estava esquecido. rsrs
    abraços

  • Dorli says:
    6 de fevereiro de 2014 20:20

    Boa noite Lu
    Como está o calor ai?
    Aqui parece um inferno
    Obrigada pelo carinho
    Beijos
    Lua Singular

  • Felisberto Junior says:
    6 de fevereiro de 2014 22:16

    Olá, Boa noite,Lu!
    sim,vim agradecer pelo link no Feed Turbo, muito obrigado e pelo carinho da visita,belos dias,abraços!

  • Evanir says:
    11 de fevereiro de 2014 19:50

    No silêncio deste dia venho pedir-te paz,
    sabedoria e força .
    Quero olhar hoje o mundo com olhos
    cheio de amor, ser paciente, compreensiva, mansa e prudente,
    ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês e,
    assim, não ver senão o bem em cada um.
    Que só de bênçãos se encha meu Espírito.
    Que eu seja bondosa e alegre a todos
    quantos se achegarem a mim .
    Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que,
    no decurso deste dia, eu Te revele a todos.
    desejo uma paz infinita para seu coração.
    Uma continuação de semana abençoado.
    Com muito carinho deixo aqui meu abraço.
    Na postagem deixei um mimo.
    E no caso de você aceitar
    tenha certeza ficarei feliz.
    Evanir..

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.