Quem sou eu

Minha foto
Sou Guerreira, romântica, poeta, escritora, paciente, prudente, perseverante, amante da natureza...

Follow by Email

Minha lista de blogs

Dias de Vida do blog

Total de visualizações de página

29 de junho de 2016

São Pedro - O santo das chaves do Céu e padroeiro dos/as Viúvos/as

Segundo a Bíblia, seu nome original não era Pedro, mas Simão. Aparece ainda uma variante do seu nome original, Simão Pedro, no livro dos Atos dos Apóstolos (Atos 10:18) e na II Epístola de Pedro (II Pedro 1:1).
No Evangelho de João (João 1:42), Cristo muda seu nome para כיפאKepha (Cefas em português), que em aramaico significa "pedra", "rocha", nome este que foi traduzido para o grego como ΠέτροςPetros, "Rocha" segundo a interpretação católica, fragmento (de pedra), "pedrinha" segundo a interpretação protestante, a qual sustenta que a palavra grega que significa "rocha", "pedra" é πέτραpetra e que, posteriormente, passou para o latim como Petrus.
Ocorre que o aramaico de "fragmento de pedra" ou ''pedrinha" é a palavra evna e não Kepha, a qual foi traduzida para o grego bíblico para Petros, que realmente significa "Rocha".
Na interpretação da Igreja Católica a razão para Jesus ter mudado o nome do apóstolo, bem como seu significado na citação bíblica «Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja; e as portas do Hades não prevalecerão contra ela.» (Mateus 16:18), a chamada Confissão de Pedro, Jesus estava comparando Simão a uma rocha. Desta forma, Cristo seria o fundador da Igreja Católica, fundada sobre Simão Pedro e sendo-lhe concedido, por este motivo, o título de "Príncipe dos Apóstolos". Esse título é um tanto tardio, visto que tal designação só começaria a ser usada cerca de um século mais tarde, suplementando o de Patriarca (agora destinado a outro uso). Pedro teria sido o primeiro Bispo de Roma. Essa circunstância é importante, pois daí provém a primazia do Papa e da diocese de Roma sobre toda a Igreja Católica; posteriormente esse evento originaria os títulos "Apostólica" e "Romana".
Já para os cristãos protestantes, protestantismo histórico ou ainda pentencostais e neopentecostais a "pedra" referida por Jesus é a confissão de fé de Pedro. O assunto que estava sendo abordado e tratado por Jesus não era sobre a pessoa do discípulo Pedro; mas sim "quem era Jesus", na opinião dos discípulos. Na pergunta de Jesus aos discípulos: «Quem diz o povo ser o filho do homem?»(Mateus 16:13), estes Lhe responderam: "Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias, ou algum dos profetas." e Jesus novamente pergunta: "Mas vós, quem dizeis que sou eu?" e Pedro responde: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo", isto é, que Cristo seria o Messias. De acordo com estes textos da pergunta feita por Jesus aos seus discípulos, entende-se que a pedra seria o próprio Jesus. No grego, a palavra para pedra é petra, que significa uma "rocha grande e maciça", a palavra usada como nome para Simão, por sua vez, é petros, que significa uma "pedra pequena" ou "pedrinha".
No entanto, os eruditos católicos, entre os quais se destacam Leonel Franca, Scott Hann e muitos outros, acreditam que, em grego, inicialmente as palavras petros e petra seriam sinônimos no primeiro século. A língua vernácula nos tempos de Jesus e dos apóstolos era o grego koiné, devido à influência helênica na região desde mais de dois séculos antes de Cristo. Ademais, é sabido que os judeus do primeiro século falavam principalmente o aramaico, mesma língua em que teria sido escrito originalmente o Evangelho de Mateus. Em aramaico a palavra para fragmento de pedra ou pedrinha seria a palavra évna e não kepha. Logo. o mais provável é que o a palavra "Képha" ou "Céfas" traduzida para o grego Petrosnos Evangelhos, Atos dos Apóstolos e escritos paulinos, todos escritos nesta mesma língua, realmente signifique Rocha. Jesus parece ter usado um trocadilho com o nome dado por Ele a Simão com base na Igreja de Jesus estar firmada na confissão de Pedro de que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e não apenas um profeta.

1 comentários :

  • Adriana Helena says:
    29 de junho de 2016 16:58

    Olá Lu Cidreira, como vai!!!
    Há um tempinho que não venho aqui, mas sempre que venho sempre tem informação de qualidade e bastante completa!
    São Pedro, assim como Santo Antonio e São João, são muito requisitados e comemorados por ocasião das festas Juninas!! Gosto muito!!
    Realmente a história de São Pedro é muito marcante, por ser a pedra fundamental da Igreja e do Cristianismo!
    Obrigada pelas informações amigo!!

    Aproveito para convidá-lo a participar da festa de 5 anos lá do blog Vivendo a Vida bem Feliz!
    É muito bom poder reunir os amigos que fizeram a história daquele espaço e sempre me acompanharam!
    Agradeço de antemão o carinho!

    Abraços e ótima semana amigo!! :)))))))

Comentários atuais

Seguidores

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Uol

Gostou do Blog? Então doe um drinque?

Estamos no Google+

Google+ Followers

Lançamento do livro de Rita Cidreira

Lançamento do livro de Rita Cidreira
Os maus tratos vividos em um casamento conturbado de uma mulher bem sucedida na vida vão transformar sua vida e viver um dilema de sentimentos. Ela luta com a ajuda da família, para solucionar o problema e se renova buscando a força necessária, para reviver uma nova historia, encontrado no acaso, através da ajuda de um homem desconhecido a força do amor que ira desabrochar e vai mudar toda sua vida. A mudança de um homem, que por causa de um atropelamento, ressurge, emerge para o brilho da vida e persevera, perseguindo seu real objetivo, para viver seu grande amor. Mesmo sabendo de todas as dificuldades que irá encontrar para prosseguir o seu caminho. Categorias: Romance, Poesia, Ficção e Romance, Ficção Palavras-chave: a, amor, do, força, fronteiras., sem. Clique na imagem que levará ao Clube dos Autores e adquira seu exemplar.